Auxílio emergencial: 3ª parcela de R$ 600 começa a ser paga no dia 17

Os beneficiários do Programa Bolsa Família começam a receber na quarta-feira da semana que vem, dia 17, a terceira e última parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1.200 para mães chefes de família). O benefício foi aprovado pelo Congresso Nacional em março para ajudar os trabalhadores e trabalhadoras informais, desempregados e os brasileiros em situação de miséria durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Enquanto o governo discute se paga mais três parcelas – de metade do valor atual – porque a taxa de contaminação e morte pela doença continua alta e novas medidas de isolamento podem ser tomadas, os trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais (MEIs) e desempregados aguardam o calendário de pagamento que ainda não foi divulgado pelo Ministério da Cidadania.

O que se sabe até agora é que os primeiros a receber a terceira parcela do auxílio, no dia 17, serão os beneficiários do Programa Bolsa Família. O calendário segue o número final do Número de Identificação Social (NIS). O dinheiro poderá ser sacado assim que for depositado nas agências da Caixa Econômica Federal, nas lotéricas e nos correspondentes bancários.

Já os trabalhadores informais e desempregados vão ter de esperar dez dias para sacar o valor do beneficio a partir do momento em que for depositado. Os valores serão creditados nas poupanças sociais digitais abertas pela Caixa de forma escalonada a partir do mês de nascimento. O cronograma completo do depósito deve ser divulgado ainda nesta quarta-feira (10).

A Caixa vai divulgar três calendários:

1) datas de pagamento para os beneficiários do Bolsa Família;

2) datas do crédito nas poupanças sociais digitais dos informais;

3) data em que os informais poderão sacar ou transferir o dinheiro para outras contas correntes, sejam na Caixa ou em outros bancos.

Os saques também têm um cronograma de acordo com o mês de nascimento do beneficiário e devem se estender até julho.

Nos dez dias em que não poderá sacar nem transferir, o trabalhador poderá pagar algumas contas, como as de água, luz e telefone; e fazer compras pelo aplicativo do celular, via cartão de débito virtual ou QR Code.

Mais três parcelas

Com o prolongamento da crise sanitária, a equipe econômica sugeriu pagar mais três parcelas do auxílio emergencial, mas reduziu o valor para R$ 300.

A reação contra a redução foi dura. Economistas falam em piora da desigualdade e da crise.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a redução no valor do auxílio emergencial tem de ser aprovada pelo Congresso. Segundo ele, a lei não permite que o valor seja diminuído pelo governo.

 “O governo tem autorização para renovar a renda emergencial pelo mesmo valor, a lei não permite reduzir o valor. Se o governo for reduzir o valor, precisa encaminhar ao Congresso Nacional uma proposta que será votada com urgência certamente pela Câmara e pelo Senado”, declarou Maia.

Auxílio emergencial saques da 2ª parcela

A Caixa ainda está liberando saques e transferências da 2ª parcela do auxílio emergencial de acordo com o mês de nascimento. Nesta quarta (10), poderão sacar os nascidos em outubro. Já os nascidos em novembro, só poderão sacar no dia 12, sexta-feira, já que quinta-feira (11) é feriado de Corpus Christi.

Os trabalhadores não são obrigados a sacar no dia da liberação. O dinheiro continuará a sua disponível.

Veja o calendário:

30/5: nascidos em janeiro

1º/6: nascidos em fevereiro

2/6: nascidos em março

3/6: nascidos em abril

4/6: nascidos em maio

5/6: nascidos em junho

6/6: nascidos em julho

8/6: nascidos em agosto

9/6: nascidos em setembro

10/6: nascidos em outubro

12/6: nascidos em novembro

13/6: nascidos em dezembro

Têm direito ao saque ou transferência informais, autônomos, microempreendedores individuais e desempregados de baixa renda que receberam a 1º parcela do auxílio emergencial até 30 de abril. Este foi o primeiro grupo a ter o cadastro para receber o benefício aprovado pela Dataprev.

No total, cerca de 60 milhões de trabalhadores e trabalhadoras já tiveram os cadastros aprovados e podem receber as três parcelas do auxílio emergencial: 50,5 milhões são os que estão sacando a segunda parcela, 8,5 milhões receberam a primeira parcela até a semana passada e ainda não sabem quando receberão as outras duas.

Novos pedidos

Até sexta-feira (5), ainda havia 10,2 milhões de pedidos de auxílio emergencial sendo analisados pela Dataprev. Não há previsão de quando essas pessoas irão receber o benefício.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Fonte: CUT

Skip to content