Após acusações de Moro, movimentos populares convocam panelaço contra Bolsonaro

Em respostas às acusações que o ex-juiz Sergio Moro fez contra Jair Bolsonaro ao pedir demissão do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública nesta sexta-feira (24), as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocam panelaço contra o presidente com início às 20h30.

Segundo Moro, o presidente tentou fazer “interferências políticas” na Polícia Federal para ter acesso a investigações sigilosas. Ele deixa o governo 16 meses após abandonar a carreira de magistrado para integrar o governo.

A saída foi uma reação à exoneração do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, publicada no Diário Oficial da União também nesta sexta (24).

Bolsonaro tomou a decisão sem o consentimento de Moro, embora o nome do ministro apareça no ato público. Para o ex-juiz, a decisão do presidente colocou em risco a autonomia da instituição policial de maior poder no país.

No pronunciamento, Moro afirmou que Bolsonaro insistiu, por diversas vezes, em nomear um comandante para a PF que fosse de confiança dele.

Para juristas, parlamentares e lideranças políticas, a afirmação de Moro é a exposição de um crime cometido pelo presidente, por tentar obstruir a justiça, e, ao mesmo tempo, a admissão de um crime próprio – o de prevaricação, por não ter exposto o delito mesmo sabendo.

A saída de Moro acontece em um momento em que a resposta de Bolsonaro à pandemia do coronavírus é amplamente criticada, principalmente após a demissão de Luiz Henrique Mandetta do ministério da Saúde. No fim do mês de março, Bolsonaro já havia sido alvo de panelaços em todo país por uma semana.

Até mesmo movimentos e setores da direita estão criticando o presidente, atualmente sem partido, que deve se pronunciar ainda hoje sobre as falas de Moro. O Movimento Brasil Livre (MBL), por exemplo, convocou panelaço para às 17h também desta sexta (24).

 

Fonte: CUT

Skip to content