Afirmação infeliz do candidato do PSL é mais um desserviço para a democracia

Em entrevista para uma afiliada da Rede Globo no último sábado (25), o candidato para presidente Jair Bolsonaro (PSL) soltou mais uma frase infeliz. O político disse que “um país que tem um Ministério Público do Trabalho atrapalhando não tem como ir pra frente”, pois segundo ele, “o maior incentivo que a gente pode dar com o setor produtivo é tirar o Estado do cangote do produtor”.
No dia seguinte, o procurador-geral do Trabalho Ronaldo Fleury emitiu nota, afirmando que as críticas de Bolsonaro “demonstram descaso com uma das mais importantes conquistas do processo de redemocratização do país” e enumerou conquistas do MPT, como o combate ao trabalho escravo e a liberdade sindical. A nota também diz que a declaração do candidato revela “desprezo institucional e preconceito contra os direitos sociais dos trabalhadores brasileiros”
O Sinpro se preocupa com o desprezo que o candidato apresenta perante as leis trabalhistas e pelas instituições que zelam por elas. Criticar a conduta do MPT é criticar todo o importante trabalho desempenhado pelo órgão, é um desserviço para a democracia.

Skip to content