Por administrador em 25/fev/2013

Sinpro apoia luta contra a homofobia



A Universidade de Brasília (UnB) foi palco de mais um caso de homofobia. Na última semana uma estudante de agronomia foi espancada em um dos estacionamentos do campus. Segundo a vítima, entre murros e chutes os agressores gritavam frases ofensivas. O Sinpro repudia atos de lesbofobia/homofobia e luta pelo fim de casos de violência como os que têm acontecido na UnB. No início do semestre o centro acadêmico de direito foi pichado com frases agressivas, sem contar casos de ameaças veladas sofridas pelos estudantes diariamente e os casos de estupro no campus.

A sociedade, a população e os estudantes têm se solidarizado com ações contra a intolerância, e fazem coro juntamente com a comunidade acadêmica para exigir uma política de educação na universidade de combate à lesbofobia, homofobia, transfobia, além de punir e coibir trotes com atos violentos e opressores dentro dos campus. Na última sexta-feira (22) mais de 300 estudantes se reuniram no Ceubinho para discutir os casos de opressão da universidade. Na reunião foi encaminhada uma carta com 24 reivindicações dos estudantes à reitoria da UnB.

A universidade é um local de repensar e refletir uma nova sociedade, onde se tem em seu pilar a quebra de preconceitos e combate a qualquer tipo de opressão e violência. Chega de violência contra homossexuais, lésbicas, transexuais, travestis, mulheres e negros.

Imprimir