Por administrador em 26/set/2014

III Fórum do Serviço de Orientação Educacional do Gama



A Coordenação Intermediária do Serviço de Orientação Educacional do Gama convida a todos os orientadores educacionais da rede pública de ensino do Distrito Federal para participar do III Fórum do Serviço de Orientação Educacional do Gama. Com o tema “A saúde do profissional de educação: qualidade de vida e resilência”, o evento vai ocorrer na quarta-feira (1º/10), das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30, no Auditório Vermelho das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (Faciplac), situado na cobertura do Bloco E.

Paulo Henrique, da Coordenação Intermediária do Serviço de Orientação Educacional (CRE Gama/GEB), informa que os fóruns do serviço de orientação educacional têm contado com uma participação significativa dos profissionais de educação da rede pública de ensino, consolidando-se como espaço de encontro, formação continuada e conquista para estes profissionais. “Este ano a temática vem ao encontro dos anseios dessa categoria por debater os desafios enfrentados no ambiente de trabalho e as possibilidades na busca pela qualidade de vida na atuação dos (as) educadores (as)”, afirma.

Os organizadores entendem que “educar na resiliência é importante porque fortalece as bases do educador e do educando”. Em nota divulgada sobre o evento, eles informam que as discussões serão realizadas com base no conceito de que “o profissional em educação é aquele que mais vivencia o ato e o fato no contexto de resiliência, é aquele que faz da sua prática pedagógica um grande escudo resiliente no contexto educacional. A resiliência ocorre na flexibilidade, sendo uma integração de processos psíquicos e maturidade”, analisam.

“Para tanto, faz-se necessário o saber cuidar de si mesmo para poder cuidar do outro. Qualidades como autonomia, capacidade de relacionamentos, iniciativa, criatividade, ética e vivência de valores são fatores determinantes ao processo de resiliência que podem ser aprendidos com mais facilidade durante a infância, mas que também podem ser estimulados durante qualquer fase da vida”, diz a nota. Confira aqui a Programação

Imprimir