Por André Barreto em 07/fev/2018

GDF nomeia orientadores educacionais, mas número é insuficiente



O Diário Oficial do DF desta quarta-feira (7/2) trouxe a nomeação de 40 orientadores(as) educacionais. Desses, oito são PcD. O número ajuda a recompor o quadro de educadores na rede pública, mas é insuficiente frente às mais de 200 escolas sem este serviço.

Para o coordenador de Imprensa do Sinpro, Cláudio Antunes, a nomeação de hoje diminui a ausência desses profissionais nas escolas, mas a medida é insuficiente. “Por isso, o Sinpro alerta para o perigo da queda da qualidade da educação no Distrito Federal, caso o GDF não se atente a nomear – o mais breve possível – um quantitativo maior de orientadores”, enfatiza o dirigente.

“Estamos muito preocupados com a qualidade do serviço prestado à população em função da total ausência desse profissional em grande parte das unidades escolares. Mesmo naquelas onde há orientador, algumas escolas ofertam este atendimento de forma precária porque apresentam um número alto de estudantes para poucos profissionais. A defesa do Sinpro é que haja ao menos um orientador para cada grupo de 300 estudantes. Tendo profissionais concursados para esse atendimento é inadmissível que a rede pública da capital federal trabalhe de forma tão precária no atendimento à população, sobretudo a mais carente”, complementa a coordenadora de Finanças do Sindicato, Rosilene Corrêa.

Monitores – Hoje também foram nomeados servidores para a Carreira Assistência à Educação, notadamente monitores. A exemplo da nomeação de orientadores(as), o problema está na insuficiência de pessoal para dar suporte e complementar as atividades pedagógicas nas escolas públicas.

Para ver AS NOMEAÇÕES DE 06 DE FEVEREIRO DE 2018, clique aqui

 

Leia também:

Campanha “E agora, Rodrigo?” entra na fase interativa e pode ser usada em sala de aula

Imprimir