Por administrador em 04/set/2013

CNTE faz café da manhã em frente ao Congresso



1235880_611780912207714_1605958357_n

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) organizou um café da manhã nesta quarta-feira (04), a partir das 8h, no acampamento localizado em frente ao Senado Federal. Deputados e senadores, membros da Comissão de Educação, e o dirigente da CUT, Jacy Afonso, participaram do evento. Os parlamentares receberam um documento com as emendas defendidas pela Confederação para que fossem consideradas nos debates do Senado e, posteriormente, no retorno da matéria à Câmara dos Deputados.

 

O acampamento está instalado desde a última sexta-feira (30/08) e foi marcado por ato público com a presença de mais de 300 trabalhadores em educação de todo o País, que cobram do Congresso Nacional celeridade na votação do Plano Nacional de Educação (PNE), e que ele seja aprovado de acordo com o texto enviado pela Câmara dos Deputados.

 

Os trabalhos no acampamento estão sendo concentrados de terça a quinta-feira, até que o PNE seja finalmente votado. Na semana que vem haverá uma reunião entre representantes da CNTE e o senador Vital do Rêgo, relator da Comissão de Constituição e Justiça.

 

As atividades desta semana contam com representantes dos sindicatos filiados à CNTE de Goiás (Sintego), São Paulo (Afuse), Mato Grosso (Sintep) e Mato Grosso do Sul (Fetems), que também estão realizando visitas aos gabinetes dos parlamentares.

 

Há mais de três anos o país está aguardando a votação do PNE, fato inadmissível para a Nação que necessita incluir milhões de pessoas na escola – com qualidade e equidade – a fim de prover mais renda, trabalho e melhor distribuição das riquezas. Ademais, trata-se de um perigoso descompasso com outra situação que tende a comprometer a possibilidade de melhoria das condições de vida das atuais e futuras gerações, qual seja, o esgotamento do “bônus demográfico” brasileiro.

 

Para Fátima Silva, secretária de Relações Internacionais da CNTE e vice- presidente internacional de Educação, até que o PNE seja realmente votado, cada semana terá uma entidade acampada em frente ao Congresso. “Estamos há três anos sem o Plano que tramita no Congresso e agora só sairemos daqui quando ele for votado.  As atividades de hoje (quarta-feira) mostraram parlamentares envolvidos com a nossa luta. Contamos com a presença de todos os sindicatos nacionais e com a responsabilidade do Sinpro”.

 

Durante o evento o vice-presidente da CNTE, Milton Canuto, disse que a pressão para que o PNE seja votado será permanentemente. “Estamos em busca da votação do Plano Nacional de Educação que para nós é fundamental como política de educação brasileira e só sairemos deste acampamento com a aprovação dele no Senado, e depois acompanharemos o seu retorno à Câmara dos Deputados e continuaremos então a pressionar os parlamentares para que este ano ainda tenhamos definitivamente  aprovado o PNE.

 

Pautas

Pautas defendidas pelos educadores: luta contra o PL 4330, que trata da terceirização dos trabalhadores, a correta aplicação dos royalties do petróleo para a educação, a regulamentação da convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho, que regula direitos dos servidores públicos em âmbito internacional, a luta pela profissionalização dos funcionários da educação e o respeito integral à Lei Nacional do Piso do Magistério.

 

 

Imprimir