Por administrador em 08/dez/2014

A arte de descobrir talentos e habilidades



banner site marcelaviviane 300Com 17 anos de experiência na rede pública de ensino, a orientadora-educacional Viviane Pontes de Sá Mesquita de Moura afirma que o profissional da área exerce uma função de grande importante dentro da escola, já que faz um trabalho de prevenção e descoberta de novas habilidades e talentos. Apesar da importância a orientadora do Centro de Ensino Fundamental 01 do Paranoá revela que ainda é preciso avançar na luta por conquistas. Uma das bandeiras de luta é com relação ao reconhecimento profissional. “Trabalhar com pais, professores, alunos e a direção da escola se torna um desafio muito grande. Por isto a necessidade de mais valorização”, revela.

A falta de um espaço físico adequado para a realização das atividades e a dificuldade de um trabalho conjunto com os demais profissionais da escola são outros desafios apontados por Viviane. “Fazemos um trabalho de prevenção e às vezes os problemas do dia-a-dia tomam conta de nós. Muitas vezes agimos como um bombeiro dentro da escola e encontramos dificuldade de realizar este trabalho de prevenção, porque precisamos que as pessoas estejam dispostas a trabalhar juntas. Nós sozinhos não conseguimos fazer o trabalho. Precisamos construir uma escola melhor junto com todos”, analisa a orientadora educacional.

Mesmo com todas as dificuldades, Viviane Pontes é enfática em dizer que a profissão é prazerosa e gratificante. Para ela, orientação educacional é um elo entre a escola e toda a comunidade escolar, fato que aumenta ainda mais a responsabilidade do profissional da área. “Os desafios não morrem e não podem nos paralisar diante das dificuldades. É preciso sempre seguir em frente. É muito prazeroso fazer um trabalho com um aluno e vê-lo desenvolvendo, melhorando seu rendimento, seu comportamento e descobrindo habilidades e talentos Não podemos fazer o mínimo, mas fazer o nosso melhor”, reflete.
Orientadora: Viviane Pontes de Sá Mesquita de Moura
Escola: CEF 01 do Paranoá
Tempo de magistério: 17 anos 

 

Veja mais:

Reconhecimento é um dos maiores desafios para os orientadores

Pedagoga vislumbra um futuro melhor para a orientação educacional

Orientadora educacional diz que desafio é trazer a juventude para a escola

Imprimir