Por administrador em 30/jul/2012

CILT: comunidade comemora solução para transferência de escola



A comunidade do DF conta com excelentes escolas de línguas estrangeiras na rede pública: os Centros Interescolares de Língua (CILs). Quem estuda em uma dessas escolas sabe a qualidade e reconhece a importância desse aprendizado, uma exigência do mundo globalizado, cada vez mais competitivo. Podemos até criticar as imposições do mercado capitalista, mas é uma realidade da qual não podemos fugir.

Para as filhas e os filhos da classe trabalhadora assalariada, aprender outras línguas significa a possibilidade de acesso a cursos de graduação e pós-graduação e melhores condições de competir em concursos públicos.

Ciente dessa importância, a categoria sempre se mobilizou em defesa dos CILs , sempre que alguma situação compromete ou ameaça o seu pleno funcionamento. Há alguns anos, por exemplo, “ventilou-se” a possibilidade de fechamento de algumas ou a  diminuição do número de turmas. Imediatamente as/os professoras/es  e estudantes mobilizaram-se e até uma audiência pública na Câmara Legislativa, convocada pela então deputada distrital, Erika Kokay,  foi realizada para discutir o assunto.

Mais recentemente essa mobilização foi novamente necessária, desta vez no CIL de Taguatinga (CILT). O prédio, velho e mal conservado será totalmente derrubado e um novo será construído,o que não era sem tempo. A luta de professoras/es e estudantes, com o apoio do Sinpro, foi para garantir que os cerca de 4.500 alunas/os não fossem dispersados e para que o atendimento fosse realizado em um mesmo local.

Após muito diálogo, reuniões e uma passeata conseguimos garantir que todo o CILT funcione  no local onde funcionava a Coordenação Regional de Ensino (Cret), que foi transferida para algumas salas que serviam como depósito da Cemeit. O Sinpro participou desse debate, com o empenho pessoal da/os diretoras/es  Augusta Ribeiro, Meg Guimarães, Carlos Edmundo, Evandro Borges e  na busca de soluções para a situação. Vale lembrar que no início da discussão se aventava até a possibilidade de levar a escola para um ginásio de esportes, com claros prejuízos pedagógicos!

O novo prédio do CILT terá 26 salas de aula em dois andares, biblioteca, laboratórios e salas para coordenação. Será um espaço decente e adequado para o ensino e a aprendizagem de línguas estrangeiras com o conforto que a categoria e as/os alunas/os merecem.

Imprimir