Sinpro e aposentados(as) definem agenda de luta pelo pagamento da pecúnia

Professores(as) e orientadores(as) educacionais aposentados(as) compareceram ao auditório do Sinpro durante reunião realizada na tarde desta segunda-feira (05) para definir uma nova agenda de luta para o pagamento da pecúnia da licença-prêmio. Após lutarem durante boa parte da sua vida por uma educação pública de qualidade e pelo futuro do Brasil, servidores(as) da carreira magistério que se aposentam precisam lutar para receber a pecúnia da licença-prêmio, direito garantido pela Lei Complementar nº 840/11, que preconiza esse pagamento em até 60 dias após a aposentadoria.
A diretoria colegiada do Sinpro tem solicitado constantemente uma reunião com o Governo do Distrito Federal para tratar do pagamento, mas os pedidos têm sido ignorados pelo GDF. Além do desrespeito mostrado pelo governador Rollemberg (PSB), o governo disponibilizou apenas R$ 9 milhões para essa finalidade, destinando a verba a todas as categorias do serviço público local. Diante disso, somente os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais que tiveram suas aposentadorias publicadas até o dia 8 de março de 2016 foram contemplados(as). O valor, retirado do IPREV, não quita nem com as pecúnias de 2016.
Um dos pontos da negociação de término da greve da categoria no ano passado era que o GDF destinasse, no mínimo, R$ 100 milhões durante o exercício de 2017 ao pagamento pecuniário. Ao fim do ano, contudo, executou aproximadamente R$ 20 milhões.
Mediante aos constantes desrespeitos de um governo que não tem a Educação como prioridade, a reunião definiu uma política de endurecimento a partir de agora. Nos próximos dias os(as) aposentados(as) realizarão uma série de atividades e a participação de todos e todas será a nossa resposta ao governo Rollemberg. “O diálogo emperrou e o GDF tem se mostrado irredutível na postura de desrespeito para com os aposentados. A partir de agora precisamos nos unir cada vez mais para que, juntos, consigamos mais esta vitória”, analisa a diretora do Sinpro Marilange da Silva.
“O cenário é de descaso. É importante que todos estejam na luta em prol do pagamento da pecúnia. O sindicato somos todos nós e só conseguiremos vitórias se lutarmos juntos, como já fizemos com muita coragem no passado”, enfatiza a coordenadora da Secretaria para Assuntos dos Aposentados, Silvia Canabrava.

Skip to content