A crescente onda de mentiras sobre o Kit Gay

Em ano de eleição a proliferação de notícias falsas, ou Fakenews como conhecida, tem ganhado forças e dividindo opiniões de leitores. Dessa vez, a polêmica gira em torno do discurso de Jair Bolsonaro, onde vincula Haddad ao ‘’Kit Gay’’.
No ano de 2004, o governo federal lançou o programa Brasil sem Homofobia com o objetivo de combater a violência e preconceito contra a população LGBT. O material auxiliaria educadores para tratar sobre questões de gênero e sexualidade dentro das escolas. Através de um convênio estabelecido com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), O material seria distribuído para instituições de todo país, a fim de ajudar na luta contra o preconceito diário. Em 2011, quando pronto para circular, conservadores e grupos dentro do Congresso Nacional começaram uma campanha contra o material assim, rotulando pejorativamente de ‘’Kit Gay’’. Para eles, o material estimulava o ‘’homossexualismo e a promiscuidade’’, Com toda a repercussão negativa, o governo recuou e fez à suspensão do projeto. Para conhecer o material, basta clicar aqui; https://bit.ly/2CBKFkO
A não aceitação social do ‘’Kit Gay’’, tem sido uma forte vertente para o candidato Jair Bolsonaro, onde utiliza de diferentes discursos para culpar o governo do PT na realização do material.
A Comissão de Direitos Humanos da Câmara, acertadamente, aprovou uma emenda de bancada ao orçamento, designando recursos para um programa de combate à homofobia nas escolas. O Ministério Público questionou o MEC sobre a liberação da emenda. Só então o MEC entrou na história, solicitando a produção do material a uma ONG especializada. No exato momento em que o material foi entregue para avaliação, eclodiu a crise do “kit gay”. Em seguida é solicitado pela ex-presidente Dilma Roulssef, o cancelamento de todo o material.
O fato é que nunca houve a existência preconceituosa do KitGay. O que era para ser um material de apoio e prevenção á homofobia, se tornou um vilão contra o governo. O grosseiro título ‘’ Kitgay’’, tem sido crescentemente presente nos discursos de Jair Bolsonaro. Ele que insiste em dizer e aspirar pelos quatro cantos do país que Fernando Haddad é o mentor do projeto. As acusações não param por ai! Por meio das suas plataformas online Bolsonaro enfatiza que o seu concorrente implementará dentro das escolas a prostituição e ‘’emancipação da escolha sexual das crianças.
Será que estamos diante de um episodio grotesco de interpretação? Estamos preparados para lidar com um governo radical?
A decisão do TSE
Ontem 16/10, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu a remoção de vídeos publicados em diferentes plataformas digitais onde, o candidato a presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, aparece criticando a suposta distribuição, pelo Ministério da Educação a escolas públicas, de um livro destinado a crianças com imagens de cunho sexual. O ministro Horbach concluiu que a obra nunca foi distribuída a escolas públicas pelo governo. A decisão do ministro foi assinada nesta segunda-feira (15) e atendeu a pedido da campanha de Haddad.
 

Skip to content