Por administrador em 28/nov/2014

Projeto “Música na escola” chega ao CEF 1 do Paranoá nesta sexta (28)



O projeto “Música na escola” chega nesta sexta-feira (28) ao Centro de Ensino Fundamental (CEF) 1 do Paranoá. A partir das 16h, alunos e professores poderão assistir a concertos com a Orquestra de Senhoritas e o quinteto de metais Brasília Brass.

O objetivo do projeto é apresentar diferentes possibilidades de formação de orquestras de câmara e estimular o interesse de estudantes, professores e demais profissionais das escolas em conhecer “outros ritmos e repertórios”.

“O ‘Música na escola’ quer colocar  jovens alunos  em contato com conceitos  musicais básicos,  noções de  instrumento  e  conjunto orquestral  e  compositores  eruditos  e  populares  que  se  destacaram  no  cenário musical  brasileiro e  mundial”, afirma a idealizadora do projeto, Jaqueline Dias.

O projeto influi também oficinas introdutórias sobre ritmos, para que o público possa conhecer um pouco da arte antes de assistir aos concertos. Segundo Jaqueline, “é um momento para que eles já fique atentos aos ritmos, aos instrumentos, um primeiro contato com o projeto e o universo musical”.

A musicista Alice Marques, integrante da Orquestra de Senhoritas, realiza outra oficina, direcionada aos professores, com o objetivo de debater a importância da música como  conteúdo no currículo, o  papel do  professor, desafios e a música como “elemento de construção do ser  humano”.

“A música tem papel fundamental no processo de ensino. Ela pode ser usada como um recurso no aprendizado de diversas  disciplinas. O educador pode selecionar músicas  que  falem  do  conteúdo a  ser  trabalhado  em  sua área, isso vai tornar a aula dinâmica, atrativa, e vai ajudar a  recordar as informações. A escola deve ampliar o conhecimento musical do aluno, dando oportunidade de convivência com os diferentes gêneros, apresentando novos estilos”, afirma Alice.

O Paranoá é a quinta região a receber o projeto, que esteve em Planaltina na semana passada. No próximo dia 5, a CEF 5, em Taguatinga, recebe o projeto.

(Do G1)

Imprimir