Por administrador em 09/maio/2014

“Eleição” na EC 05 do Guará estimula consciência dos (as) alunos (as)



Em ano de eleições, questões como cidadania, ética e deveres do cidadão sempre entram em debate. Com essa preocupação, o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) desenvolveu o projeto Inclusão desde a Infância, que utiliza cinco personagens do folclore brasileiro como candidatos ao cargo de presidente do folclore.

Na tarde de ontem, os alunos da Escola Classe 5 do Guará foram apresentados a diferentes plataformas de campanha dos candidatos   Vitória Régia, Curupira, Iara, Negrinho do Pastoreiro e Saci, interpretados por funcionários da escola.

Entre os debates, destaque para  a posição da mulher na sociedade atual, abordado pela “candidata” Iara, ao passo que o consumo consciente e a importância da água são apresentados por Vitória Régia às crianças que, entusiasmadas, logo passaram a torcer para alguns personagens.

Negrinho do pastoreiro, Saci e Curupira, por sua vez, tocaram na questão racial e bullying, o preconceito com pessoas com deficiência e a importância da proteção do meio ambiente, respectivamente, cativando a atenção dos agitados alunos.

“O intuito é que os alunos façam uma associação entre os personagens do folclore e diferentes temas que existem em nossa sociedade contemporânea”, explicou a técnica judiciária da Escola Judiciária do DF, Rose Brandão.

Extensão

O projeto, realizado desde 2007, é uma extensão de outro programa do TRE-DF, o “Eleitor do Futuro”, e tem como foco alunos do primeiro ao quinto ano do Ensino Fundamental. “Hoje, contamos com 30 escolas e   a participação de aproximadamente 10.500 alunos das redes pública e privada”, detalhou.

A técnica comentou que a escolha de temas de nossa sociedade, como o preconceito contra pessoas com deficiência, mulheres e negros; e a preservação da água e do meio ambiente visam despertar a cidadania nas crianças. No dia 20, funcionários da escola serão treinados como mesários nas eleições que ocorrerão no dia seguinte em 30 escolas.

Iniciativa bem recebida

A iniciativa da escola contou com boa aceitação dos pais dos estudantes. Jéssica Andréa, de 24 anos, mãe de um aluno do segundo ano, se mostrou muito empolgada. “Acho esse tipo de projeto muito importante,pois a criança que é exposta a questões de cidadania, desde cedo, e tem menos chances de ser desonesta. Isso ajuda a direcionar o caráter deles”, analisou. Durante toda a apresentação, os alunos não esconderam o entusiasmo e participaram muito.  Giovanna da Fonseca, aluna do quinto ano, expressou sua visão sobre o projeto: “Nunca tinha participado de nada parecido, gostei e achei muito interessante. Assim fica mais interessante aprender”.

Simulação da realidade

Sobre as eleições simuladas para os estudantes, Rose comenta que “faremos de tudo para ser um evento mais próximo possível da realidade, inclusive com o uso de urnas eletrônicas formatadas para a atividade”, explicou.

A técnica acrescenta que questões como venda de votos e outros crimes eleitorais são abordados no programa. “Fazemos de uma maneira bem simples. Eu pergunto se eles trocariam os votos por balas, doces e digo que caso ofereçam, eles não devem aceitar”.

A supervisora pedagógica da instituição, Nair de Felice, destacou a importância do projeto. “Hoje eles foram apresentados para os candidatos, mas nós já estamos trabalhando com esses personagens há dois meses, mostrando quem são, a origem, contextualizando de um modo geral. A partir de agora vamos desenvolver com eles a campanha, com cartazes entre outras atividades, já que a parte pedagógica  foi desenvolvida”, explicou.

(Do Jornal de Brasília)

Imprimir