SUGEP emite nota de pesar pelo feminicídio da servidora Débora Tereza

    É com profundo pesar que a Subsecretaria de Gestão de Pessoas (SUGEP) da Secretaria de Educação do Governo do Distrito Federal (GDF) comunica o falecimento da servidora Débora Tereza Correia, vítima de feminicídio na manhã dessa segunda-feira (20/05). O ataque, a tiros, foi executado por seu ex-namorado. O crime aconteceu na sede da Subsecretaria, no terceiro andar do Edifício Bittar 03, na Asa Norte. O expediente da Subsecretaria foi suspenso por três dias.

    A SUGEP montou duas equipes para atender o caso: uma delas foi colocada à disposição da Polícia Civil, que já abriu inquérito para apurar as circunstâncias; a outra presta atendimento aos familiares da vítima. A Subsecretaria também mobilizou a Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho da Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão do GDF para garantir atendimento psicológico e da saúde aos seus servidores.

    Consternados, gestores e funcionários da SUGEP lamentam a morte e unem-se, em oração, aos familiares e amigos de Débora nesse momento de profunda dor.

    Professora da rede pública será uma das palestrantes do VI CONEDU

    Trabalhando a temática Avaliação: Processos e Políticas, o VI Congresso Nacional de Educação (CONEDU) pautará a discussão sobre os aspectos relacionados à avaliação da educação passando pela educação básica, o ensino superior e a pós-graduação. Dentre os convidados para abordar o tema está a professora da rede de ensino no Distrito Federal Keila Núbia Barbosa Ibrahim Abdelkarem. Graduada em Letras Português pela Universidade Católica de Brasília, a professora possui especialização em Psicopedagogia Institucional pela FINOM, especialização em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED), mestrado em Educação pela UnB com foco em Escola, Aprendizagem e Trabalho Pedagógico, e é doutora em Educação também pela UnB.

    O VI CONEDU objetiva oportunizar discussões que valorizem as práticas de profissionais da Educação aproximando, cada vez mais, a universidade da escola de educação básica para a produção de conhecimentos e demandas formativas e avaliativas; apresentar a produção do conhecimento através das discussões dos grupos de trabalho do CONEDU; contemplar os participantes com as discussões sobre avaliação no contexto atual da educação, envolvendo profissionais de diferentes setores de atuação; promover a integração entre educação, culturas, sujeitos e práticas. O público-alvo são professores da educação básica; professores do ensino superior; estudantes de graduação e pós-graduação e estudantes de ensino médio e técnico.

    O evento será realizado de 24 a 26 de outubro, em Fortaleza.

    Professor aposentado lança livro de ficção

    O professor aposentado Plínio Guimarães Campos lança seu segundo livro, desta vez explorando o universo da ficção, aventura, ação e suspense. Intitulada O jogo do Conde de Monterealli – mistérios e assombrações do bairro Iporá, a obra publicada pela Editora Viseu é a narração da aventura vivida por um grupo de adolescente na cidade de Catas Raras, no bairro Iporá. Eles procuram por um tesouro deixado pelo Conde de Monterealli, na década de 30. Se o tesouro fosse encontrado, nos dias de hoje teria o seu valor revertido para a reconstrução e restauração do bairro Iporá, onde moram os protagonistas da história.

    A história é uma aventura instigante, com ação, suspense, às vezes com cenas cômicas, contada em linguagem leve, coloquial e apropriada ao público jovem. A obra contém mensagens de defesa da comunidade, solidariedade e mostra passagens de períodos históricos de uma pequena cidade desde o ciclo econômico do ouro, passando pelo ciclo econômico do café.

    Mais informações sobre o livro podem ser encontradas no site https://www.editoraviseu.com.br/.

     

    O Dia Internacional do Abraço nas Escolas do DF

    O Dia Internacional do Abraço será comemorado na quarta-feira (22), das 6h às 8h, no Centro de Ensino Médio Setor Leste (611/612 Sul). Toda a comunidade escolar será recebida com abraços nesta data comemorativa.

    A “Prática do Abraço Solidário” faz parte das comemorações do Dia Internacional do Abraço. Nesta ocasião, estudantes, pais, professores e servidores receberão o “dever de casa – Abraço Solidário”, a ser realizado pela comunidade escolar de 22 de maio a 30 de junho. O dever de casa consiste em praticar o desapego, ou seja, levar para a escola aquilo que não está usando para doar a entidades filantrópicas. Não está usando, desapega. Doar faz bem.

    O Abrace Mais – A Escola do Abraço está convidando todas as escolas a participarem desta Ação Comemorativa. “Toda escola, escola do abraço, o ano todo”, afirma o professor Francisco Filho, coordenador da campanha.

    O professor Francisco Filho solicita às escolas que forem participar da Campanha Escola do Abraço para entrarem em contato pelo Facebook do Abrace Mais, para que seja feita a divulgação de sua participação. A comunidade que morar ou trabalhar próxima às escolas poderão verificar se a escola está participando da campanha e ali fazerem suas doações.

    A proposta é que esta ação comemorativa seja realizada em todo o DF, ou seja, você é convidado a promover o abraço solidário em seu espaço de convivência (escola, local de trabalho, condomínio, clube, associações, entidades, etc), consagrando assim “Brasília, Capital Mundial do Abraço”.

    A sugestão é que os próprios participantes desta ação (escola, local de trabalho, condomínio etc) entreguem a arrecadação efetuada à entidade que mais receber indicações para ser contemplada com as suas doações.

    O Abrace Mais – Escola do Abraço visa promover a cidadania, a solidariedade, a sustentabilidade, a valorização vida, o resgate da vida e a cultura da paz e o voluntariado.

    Mais informações por meio de mensagem in box pelo Facebook do Abrace Mais.

    SUGEP funcionará na 511 Norte a partir de terça, 14

    O Sinpro informa que a partir dessa terça-feira (14) a Subsecretaria de Gestão de Pessoas (SUGEP) funcionará no SEPN 511 (Setor de Edifícios de Utilidade Pública Norte), Bloco C, Edifício Bittar III, 3º andar. O novo endereço é o mesmo onde funciona a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto/Cruzeiro.

    O prédio da 607 Norte da Secretaria de Educação do DF continua interditado.

    Projeto literário diz como usar o livro infantil em sala de aula

    Gacy Simas e Verônica Vincenza, diretoras de literatura infantil do Sindicato dos Escritores do DF (Sindescritores/DF), convidam os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais do ensino infantil para participarem do curso Projetos literários: Usando o livro infantil em sala de aula.

    Venha participar do curso e descubra como ampliar o interesse de seus alunos com Projetos Literários Originais e Contações de Histórias encantadoras. Entre os tópicos que serão trabalhados estão: Técnica de desenvolvimento de projetos; Literatura como arte e expressão artística; Uso do livro infantil como instrumento pedagógico; Contação de histórias: técnicas e ferramentas lúdicas; Troca de experiências, e várias atividades, como atividade em grupo com apresentação e atividade individual com apreciação.

    As primeiras 10 pessoas que efetivarem a matrícula no curso terão um desconto de 20% no pagamento. Os participantes terão coffee break de manhã e de tarde incluídos.

    Aproveite, o tempo é limitado.

     

    Serviço

    Quando: 25/05/2019

    Onde: Parla Mundi LBV, 916 Sul, Sala 10 – Brasília/DF

    Horário: 8hs-18hs

    Mais informações:

    Facebook: projetos literários: usando o livro infantil em sala de aula

    E-mail: cursosliteraturainfantil@gmail.com

    (61) 98277-3117 (Gacy Simas) ou (61) 98215-5914 (Verônica Vincenza)

    CILC realiza 6º Festival de Cultural Japonesa

    O Centro Interescolar de Línguas de Ceilândia (CILC) convida professores(as), orientadores(as) educacionais, estudantes e a comunidade escolar para o 6º Festival de Cultura Japonesa do CILC. Trabalhando a temática Teatro Japonês, o festival será realizado no dia 1º de junho, das 16h às 22h, e os ingressos serão vendidos a R$ 5 (antecipado) e R$ 10 (no dia do evento).

    Além de apresentações dos(as) alunos(as), o festival terá apresentação de Taiko (tambores japoneses); Bon Odori (dança tradicional); desfile Cosplay; jogos de vídeo game retrô; exposição Geração Manchete; concurso de desenho e cosplay para alunos(as); comida brasileira e japonesa; stands de vendas e muito mais.

    Participe!

    Ato público na UnB marca resistência contra retrocessos na educação

    O anúncio do corte orçamentário das universidades públicas e dos institutos federais tem gerado grandes mobilizações e atos contra o governo Bolsonaro em todo o país. Na capital federal, a última ação nesse sentido aconteceu nesta terça (7), na Biblioteca Pública da Universidade de Brasília (UnB). O ato, intitulado “Abrace a UnB”, contou com a intensa participação estudantil, popular e parlamentar.

    Nem mesmo o sol escaldante do meio-dia foi capaz de dispersar as centenas de pessoas que ocuparam o espaço em defesa de uma educação pública e de qualidade. Com faixas, cartazes, e explanações, o grupo expressou sua indignação com a política de sucateamento das instituições proposta pelo presidente Bolsonaro (PSL). “Não vai ter corte. Vai ter luta”, bradavam.

    Em seguida, todos, de mãos dadas, formaram um círculo em torno da biblioteca, dando um grande abraço simbólico na universidade. “Esse é um abraço na educação, objeto de ódio e desconstrução desse governo. Uma ação poucas vezes vista no país. Vivemos um momento de esfacelamento de tudo aquilo que construímos com muita luta. Por isso, devemos resistir”, destacou a deputada federal Gleisi Hoffman (PT-PR).

    Para o estudante da UnB e integrante do Movimento Popular da Juventude em Disparada, Evaldo Ribeiro, o governo Bolsonaro tem um projeto retrogrado para a educação. “Além de desconstruir a educação pública, é parte do projeto dele destruir nossas ferramentas de resistência”, disse, se referindo às universidades.

    Isso por que, segundo Ribeiro, assim como ocorreu no período da ditadura militar, as universidades, em especial a UnB, tornaram-se um berço resistência a qualquer retrocesso. “Balbúrdia é o governo Bolsonaro e o corte nas verbas da educação. Eles se incomodam com a diversidade nas universidades e querem as intuições públicas sejam ocupadas apenas pela elite. Iremos resistir”, afirmou.

    Corte orçamentário chega a 40%

    Apesar de o Ministério da Educação (MEC) ter afirmado que o corte nos orçamentos seria de 30% e apenas para o segundo semestre, técnicos apontam que a UnB já sentiu o impacto e o golpe chegou a 40%, representando um total de R$ 48,6 milhões. A princípio, apenas três instituições seriam prejudicadas. Em seguida, a medida foi estendida a todas as universidades e institutos federais.

    Reunião com reitora

    Após a ação na Biblioteca, o grupo marchou rumo à reitoria da UnB para reunião com a reitora, Márcia Abrahão. No encontro, foram discutidos a situação da Unb e os próximos passos de resistência.

    “Como ex-aluna, fico orgulhosa em ver que a UnB está unida em prol da sua sobrevivência. É um momento complicado, mas precisamos ter a capacidade de superação, pois temos um compromisso com a nossa história. Passamos por momentos difíceis nos últimos anos, mas é importante que tenhamos em mente que a UnB e o povo são maiores que qualquer situação momentânea”, afirmou Márcia.

    A deputada federal Margarida Salomão (PT-MG), que também é presidenta da Frente Parlamentar em defesa das Universidades Federais na Câmara, destacou que a resistência ocorre também no Congresso Nacional.

    De acordo com Margarida, os parlamentares que integram a Frente têm se articulado para impedir o sucateamento da educação. Uma das ações para tentar reverter a situação é a obstrução geral das votações na Casa, enquanto a situação não for revista. Além disso, o grupo dará sequência às iniciativas legislativas que impedem o retrocesso na educação. Uma delas é o Projeto de Lei da Câmara Complementar (PLP 8/2019), que determina que o orçamento destinado às universidades e institutos federais não seja objeto de limitação de empenho e movimentação financeira.

    “Enquanto isso, atos como esses, com representação parlamentar e social, acontecerão por todo o país. Promoveremos grande caravana em defesa da educação pública”, garantiu.

    Fonte: CUT Brasília

    Zeni Rainha faz lançamento do EP Arranha-céu

    A cantora e compositora Zeni Rainha, professora da rede pública de ensino do Distrito Federal, fará um show de lançamento do EP Arranha-céu, com suas canções autorais. A artista também trará em seu repertório músicas que remetem às mensagens de suas canções compostas por Milton Nascimento, Djavan, Gonzaguinha e Dona Ivone Lara.

    O show será realizado no Sesc Estação (504 Sul), nos dias 18 e 19 de maio, às 19h e 18h respectivamente. O valor dos ingressos será R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Compareça!

    Grupo franco-brasileiro apresenta show inédito em Brasília

    O Sinpro tem o prazer de apresentar o grupo franco-brasileiro Cao Laru!, que está de volta ao Brasil para o lançamento do novo disco Fronteiras. A banda expõe a força da música autoral e a gana de difundir essa musicalidade para além das fronteiras do mundo, e nessa terça-feira (7) apresentará show inédito no Centro Educacional Gisno. O show será gratuito à comunidade e terá início às 19h.

    Com uma aquarela de instrumentos, o grupo apresenta o encontro entre canções francesas, polifonias macedônicas, ritmos brasileiros, sons dos Balcãs, composições e rearranjos de músicas tradicionais colhidas nos mais de 20 (vinte) países por onde já passou.

    No mesmo dia o grupo fará uma intervenção artística com os alunos Gisno à partir das 14h30.

     

    Sobre o grupo:

    Spotify: http://bit.ly/fronteiras_caolaru

    Deezer: http://bit.ly/deezer_fronteiras