Por administrador em 23/fev/2011

Urgência:CEF Myriam Ervilha de Samambaia pede socorro



O Centro de Ensino Fundamental Myriam Ervilha, próximo ao Santo Antônio do Descoberto-GO, vive mais uma vez um problema antigo, já reivindicado no governo anterior, o que nada foi feito, embora tivesse recurso para tal. Em todo o período de chuva, a escola inunda, levando para dentro das salas água, lama e possivelmente doenças. Além desse problema eventual (tempo de chuva), há outros que e contínuos: a falta de muro e de outra escola, uma vez que a população da Região Habitacional Sul – Água Quente, Gerência vinculada ao Recanto das Emas-DF, tem crescido e exigido uma nona Unidade de Ensino, bem como a melhoria da estrutura do Myriam Ervilha. Fato também agravante é a ausência de policiamento na escola, o que torna o ambiente mais favorável ao assalto, roubo e outras ações criminosas decorrentes de outros fatores, dentre os quais o crescimento desordenado que ocorreu nos últimos oito  anos, onde as famílias não têm infra-estrutura adequada.

Fato real mais recente é que no dia 14 de fevereiro de 2011 a escola não teve aula devido a uma chuva intermitente que ocorreu no dia 13/02/2011. A escola inundada e com poucos funcionários (as). Essas e outras situações exigem uma solução urgente . Já tivemos a visita de Salacier ( Assistente de Direção) da Diretoria Regional de Ensino de Samambaia – DF no dia 09/02/2011. De acordo com ele, há uma sensibilidade diante de todos os problemas, particularmente no que se refere às escolas públicas de Samambaia e que a equipe está visitando as escolas para se ter uma noção das reivindicações.  De acordo com ele, existe uma ação do governo diante de situações urgentes e a preocupação em colocar a casa em ordem, já que muitos problemas vieram do governo anterior. Diante dessa nova oportunidade que temos na certeza e com a esperança de um governo mais sensível, solicitamos um olhar para a nossa Escola que é muito esquecida, muitas vezes pelo fato de situar em uma região que não se sabe ao certo se é zona rural ou urbana. Sua característica é de zona rural, mas os problemas extrapolam qualquer determinação ou tipologia geográfica. Trata-se de uma comunidade escolar que vive em condições e/ou situações  de empobrecimento. Após a retirada da gratificação e a perda total de vales transportes, devido à contrapartida por meio do vencimento, acabou por reconfigurar o perfil da escola: falta massiva de professores (as), principalmente no vespertino. Precisamos, portanto, de uma ação urgente diante desses vários problemas que não são novos. Pode-se falar em Ano Novo, velhos problemas. Desde já agradecemos pela atenção de todas as pessoas envolvidas nos processos administrativos e pedagógicos da escola que darão um novo sentido à práxis educativa. A palavra-chave é URGÊNCIA. Com a reincidência de inundação, a escola pode estar abalada em sua estrutura. O que poderá ocorrer? Possivelmente um desastre maior…

Cristino C. Rocha – Apoio Pedagógico do CEF Myriam Ervilha

Imprimir