Por administrador em 01/mar/2010

Um minuto de silêncio, um minuto de barulho.



Para marcar o Dia Internacional da Mulher, o 8 de março, a Secretaria de Mulheres Educadoras do Sinpro propõe que todas as escolas façam sua homenagem às mulheres, envolvendo auxiliares de educação, estudantes, mães e professoras. Para reafirmar a luta das companheiras que se foram, para lembrar como a luta delas valeu, propomos que seja feito um minuto de silencio. E para mostrar que continuamos na luta por direitos iguais, contra a violência e pela ocupação de espaços de poder e decisão, dentre outras bandeiras, propomos um minuto de barulho, com apitos, bate panelas, e o que mais a criatividade ditar.

E porque a luta continua, veja a programação que se estenderá até abril e participe!

• 03/março – Ciranda das Mulheres
Local: Praça dos Três Poderes
Horário: 16 h

• 05/março – Apresentação do filme “As Mulheres e os Direitos Humanos no Brasil”
Debate e coquetel
Local: Sede do SINPRO/DF
Horário: 19h

• 08/março – Cada escola organizará seu momento pelo dia 08 de março.

POR UM SÉCULO DE LUTA – Um minuto de silêncio
A LUTA CONTINUA – Um minuto de barulho

• 08 a 18/março –Caminhada da Marcha Mundial das Mulheres – Campinas a São Paulo.

• 20/março – Encontro Regional de Mulheres Trabalhadoras da CUT
Local: Sede do SINPRO/DF
Horário: 9h às 18h
Inscrições: até 15/03

• Data a definir – Abril/2010 – Debate sobre a Lei Maria da Penha
Local: Sede do SINPRO/DF

Um século de luta

Não foi por acaso que a data 8 de março foi escolhida como Dia Internacional da Mulher. Ela marca o dia em que mulheres norte-americanas foram covardemente assassinadas dentro de uma fábrica de tecidos de Nova Iorque.
No dia 8 de março de 1857, as operárias fizeram uma greve. Ocuparam a fábrica para reivindicar melhores condições de trabalho. O movimento foi duramente reprimido. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica que terminou incendiada. 130 tecelãs morreram carbonizadas.
Em 1910, durante a 1ª Conferência Internacional de Mulheres, em Copenhague, na Dinamarca, a socialista alemã Clara Zetkin propôs a criação de um dia Internacional da Mulher. A data foi adotada pelas Nações Unidas, em 1975, para marcar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, apesar das discriminações e das violências a que ainda estão sujeitas em todo o mundo.
De lá para cá, a luta das mulheres tem produzido avanços consideráveis na trajetória de conquistas femininas, embora as mulheres ainda sofram violência, desrespeito e descaso em todo o mundo. O que só fortalece a necessidade da luta. (texto da revista Mátria)

Imprimir