Por administrador em 15/set/2010

Três meses de atraso na parcela dos laptops



O Governo do Distrito Federal chegou aos três meses de atraso no repasse de sua parcela na conta dos professores que compraram computadores portáteis em condições especiais. O que era para ser um benefício para vários professores da rede pública de ensino transformou-se na verdade em um problema, já que o BRB desconta o valor da conta dos professores, mas o GDF não repassa os valores. O Sinpro-DF tem questionado esse atraso, mas a Secretaria de Ciência e Tecnologia alega que está sem orçamento para honrar o convênio. O Sindicato considera que a falta de verba não deveria ser justificativa, já que esse é um compromisso bancário assumido pelo governo e pelo professor, que acaba prejudicado porque tem os valores descontados de sua conta, sem ressarcimento.

Imprimir