Por administrador em 10/nov/2009

Todos à Marcha da Classe Trabalhadora



No dia 11 novembro, Brasília recebe uma das maiores manifestações dos trabalhadores do Brasil: a 6ª Marcha da Classe Trabalhadora. Agora, os esforços estão voltados para a mobilização dos trabalhadores que, de acordo com previsão da CUT Nacional, se somarão em 40 mil na manifestação. De acordo com o coordenador do escritório da CUT Nacional no Distrito Federal, Antônio Lisboa, as entidades cutistas da região e do entorno levarão cerca de 3 mil trabalhadores à 6ª Marcha da Classe Trabalhadora.

Como todo ano, os manifestantes se reunirão às 9h, no estacionamento do estádio Mané Garrincha e descerão em passeata até o Congresso Nacional. Nesta edição, a Marcha da Classe Trabalhadora terá como eixo principal de reivindicação a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais sem redução dos salários. A PEC que implementa a redução (231/95) também amplia para 75% o valor das horas extras.

Também compõe a pauta conjunta das centrais sindicais a aprovação do PL 01/07, que efetiva a política de valorização do salário mínimo; a ratificação das convenções 151 e 158 da OIT; a aprovação da PEC 438, contra o trabalho escravo; a retirada imediata do PL 4302/98 e do PL 4330/04 (terceirização), a defesa do marco regulatório do pré-sal, a votação do acordo de valorização do salário mínimo e o repúdio às tentativas de criminalização dos movimentos sociais.

A diretoria do Sinpro conclama a todos os professores e professoras a fazerem esse debate e dentro das possibilidades garantir a participação do maior número de educadores na marcha. Por se tratar de uma luta de classe não podemos deixar de comparecer e mobilizar a categoria para participar.

Imprimir