Por administrador em 16/set/2014

Terceirização de serviços causa prejuízos à educação



Desde a semana passada algumas escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal tiveram sua realidade alterada devido à paralisação de funcionários de empresas terceirizadas que prestam serviço para a Secretaria de Educação do DF. Os funcionários estão com salários atrasados, situação que vem ocorrendo com frequência. O fato mostra o total desrespeito que as empresas terceirizadas mantêm com seus trabalhadores e o descompromisso com as escolas públicas por ela atendidas.

O Sinpro defende a ação dos funcionários e, principalmente, o fortalecimento do serviço público a partir da realização de concurso público e efetivação de servidores concursados, como forma de melhorar e adequar a prestação do serviço conforme as necessidades da sociedade. Em contrapartida, afirma que se há problemas de pagamento entre o governo e a empresa, a Justiça deve ser acionada com o objetivo de fazer valer o que está celebrado no contrato. O processo de terceirização a que foi submetido parte da educação, ao longo das últimas décadas, tem se mostrado nefasto para os trabalhadores e contrário à prestação de um serviço público de melhor qualidade social.

A diretoria do Sinpro entrou em contato com a Secretaria de Educação e foi informada que o pagamento foi depositado na conta da empresa responsável na última sexta-feira (12).

O Sindicato não aceitará que nenhum integrante da carreira magistério tenha qualquer tipo de prejuízo profissional em decorrência da paralisação dos trabalhadores das empresas terceirizadas, ao mesmo tempo em que exige uma solução urgente por parte do GDF para resolver este problema.

Imprimir