Por administrador em 14/mar/2013

Sinpro: 34 anos de luta e história!



Há 34 anos nascia o Sindicato dos Professores no DF: em 14 de março de 1979 a Associação Profissional dos Professores d0 DF se transformava na entidade de classe e luta que conhecemos e reconhecemos como um dos mais importantes sindicatos do país. De lá para cá acabou a ditadura, conquistamos a duras penas a redemocratização e uma nova Constituição que deu mais liberdade à livre organização dos trabalhadores. Durante esse tempo as lutas foram duras  contra a perda de direitos, contra a visão neoliberal do Estado mínimo, contra a flexibilização da legislação trabalhista e por melhorias salariais e de trabalho para a categoria.

Mas a despeito de todas as dificuldades, o Sinpro se consolidou ao longo do tempo como uma entidade cutista, de classe e de luta, se engajando em todas as batalhas por igualdade, respeito e solidariedade que mobilizaram a sociedade brasileira ao longo desse tempo. De 5.485 filiados no primeiro ano de nossa história, passamos hoje a mais de 33 mil sindicalizados, um dos mais altos percentuais de sindicalização do país .

Como disse Bertold Brecht, em seu texto “A necessidade do Sindicato”, que transcrevemos abaixo,  essa força só foi construída porque a categoria é que faz o dinamismo da sua entidade, que a torna viva e atuante. Parabéns a todos e todas que não desistiram da luta e construíram sua história.

 

A necessidade do Sindicato, de Bertold Brecht

Mas quem é o sindicato? Ele fica sentado em sua casa com o telefone?
Seus pensamentos são secretos, suas decisões desconhecidas?
Quem é ele?
Você, eu, vocês, nós todos.
Ele veste a sua roupa, companheiro, e pensa com a sua cabeça.
Onde more é a casa dele, e quando você é atacado, ele luta.
Mostre-nos o caminho que devemos seguir e, nós seguiremos com você.
Mas não siga sem nós o caminho correto.
Ele é sem nós o mais errado.
Não se afaste de nós.
Podemos errar e você ter razão, portanto não se afaste de nós!
Que o caminho curto é melhor do que o longo, ninguém nega.
Mas quando alguém o conhece e não é capaz de mostrá-lo a nós,
de que serve a sua sabedoria?
Seja sábio conosco!
Não se afaste de nós!

Imprimir