Por administrador em 19/nov/2009

Sindicalistas e empresários negociarão jornada de trabalho



O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), criou informalmente uma comissão de parlamentares para encontrar alternativas para as divergências entre empresas e sindicatos sobre a PEC 231/95, que reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais.

A decisão foi tomada durante reunião, hoje, com representantes das centrais sindicais e do setor empresarial. “Podemos considerar que esse foi um grande avanço. Pela primeira vez o empresariado está aceitando negociar. Antes, eles admitiam apenas a discussão do tema, sem qualquer chance de negociação”, afirmou o deputado Vicentinho (PT-SP), relator da PEC na comissão especial que analisou a matéria.

A comissão vai se reunir para discutir o tema no período de 10 a 15 de dezembro. Além de Vicentinho, representarão os trabalhadores os deputados Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) e Chico Alencar (PSOL-RJ). Representam o setor empresarial os deputados Armando Monteiro Neto (PTB-PE), Eduardo Sciarra (DEM-PR) e Guilherme Campos (DEM-SP).

Ficou claro na reunião também as dificuldades da matéria ser votada em Plenário ainda neste ano. “Só me disponho a colocar a PEC em votação se forem atenuadas as divergências sobre o projeto. A PEC não pode ir à votação sob dissenso total”, afirmou Michel Temer. Por sua vez, Vicentinho continuou defendendo a votação antes do recesso parlamentar. “Gostaria muito de ver a proposta ser votada este ano, mas o importante neste momento foi ter aberto o canal de negociação e garantirmos a apreciação da redução da jornada no início do ano que vem”, reforçou Vicentinho.

Os representantes das centrais sindicais aproveitaram para anunciar que os trabalhadores estão preparando paralisações nas fábricas no mês de janeiro, como forma de pressionar pela adoção das 40 horas semanais. (agencia Informes do PT)

Imprimir