Por administrador em 17/jan/2014

Sindicalismo é debatido no segundo dia do Congresso da CNTE



Política sindical foi o tema dos debates durante a manhã e início da tarde no 32º Congresso da CNTE, que está ocorrendo até domingo (19) no Centro Internacional de Convenções do Brasil, no Setor de Clubes Sul, em Brasília.

José Maria de Almeida, do PSTU, salientou os tímidos investimentos em educação no Brasil. Rosane da Silva (CUT), endossou que o movimento sindical está fragilizado, em virtude de sua fragmentação. O blogueiro Altamiro Borges destacou os avanços sociais nos governos Lula e Dilma e expôs um panorama político no Brasil. Já João Felício (CUT) ressaltou para que as esquerdas se unam, chamando de ‘picuinhas’ as pequenas diferenças entre elas, ressaltando que as afinidades são bem maiores.

Roberto Franklin de Leão, presidente da CNTE, falou sobre a importância do Congresso.

“Sem dúvida, é um espaço de mobilização. Sairemos daqui, com um ânimo renovado, para fazermos o enfrentamento necessário. É um momento de mobilização importante, com debates em nível nacional, com as pessoas já saindo daqui sabendo o que vão fazer. Estamos reiterando lutas históricas, que infelizmente não foram resolvidas, como o cumprimento da lei do piso e também reiterando a nossa firme decisão de que 10% do PIB seja efetivamente empregado na educação pública”, afirmou.

Veja mais matérias do Congresso da CNTE

 

Imprimir