Por administrador em 11/dez/2012

Servidores realizam assembleia nesta quarta (12), às 14h



O questionamento dos servidores públicos do Distrito Federal sobre as ações prejudiciais do governo local direcionadas ao funcionalismo público se solidificam e geram ações pontuais que combatem a prática da desvalorização do serviço e do servidores públicos. Nesta segunda-feira (10), o Fórum em Defesa do Serviço Público – composto pela CUT-DF e entidades filiadas ou não à Central – se reuniu mais uma vez e aprovou a pauta de reivindicação que será entregue ao governador Agnelo Queiroz.

“A ideia é de que todas as categorias de servidores públicos tenham suas reivindicações atendidas de forma justa e igualitária, como foi feito, por exemplo, com a implantação da Convenção Coletiva dos bancários. A CUT-DF auxiliará os sindicatos a mobilizarem suas bases para que seja feito um movimento sólido e unificado”, afirma o presidente da CUT-DF, Rodrigo Britto.

O documento reúne 13 pontos de reivindicações comuns às diversas categorias do serviço público do DF. Entre eles estão a defesa do Direito de Greve, como indica a Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), e a criação de creches Públicas. O movimento dos trabalhadores é intitulado como Campanha Unificada dos Servidores Públicos do DF – Pela valorização do serviço público.

“O governo vem tratando os servidores de forma, no mínimo, desrespeitosa. Algumas negociações, como a dos servidores do Detran, têm como resultado apenas a manutenção dos direitos dos trabalhadores”, denuncia o dirigente da CUT-DF, Denivaldo Alves do Nascimento. “Não dá para entender como o governo ignorou a greve da polícia civil, como ele vem tratando os professores e as outras categorias do serviço público. A gente precisa saber o que está acontecendo”, alertou André Luis da Conceição, que também compõe a direção da CUT-DF.

A pauta será entregue ao governo nesta quarta-feira, dia 12 de dezembro, quando os servidores públicos de todo o DF realizarão assembleia na Praça do Buriti. A atividade está programada para às 14h.

Ainda no dia 12, será realizada audiência pública, às 9h, na Câmara Legislativa, para discutir as dificuldades encontradas por vários sindicatos em tratar com o governo as demandas e expectativas das categorias. Da Secretaria de Comunicação da CUT Brasília.

Imprimir