Por administrador em 29/nov/2013

Senador teme que PNE não seja aprovado no Congresso ainda neste ano



O senador Walter Pinheiro (PT-BA) teme que o Plano Nacional de Educação (PNE) não seja aprovado no Congresso Nacional até o fim do ano. A proposta vai ser examinada no Plenário do Senado no próximo dia 11, mas como há dezenas de mudanças no texto em relação ao que foi aprovado pela Câmara os deputados terão que reexaminar o projeto.

“Com as mudanças, o PNE terá que retornar à Câmara dos Deputados. Assim, se as alterações [dos deputados] na proposta forem mantidas, nós não teríamos a consagração do PNE aqui no Senado da República. Estou preocupado com isso. Acho que talvez a gente não logre tanto êxito”, disse o senador.

Diretriz para Educação

O PNE traz o direcionamento para a educação em todo o país nos próximos dez anos. Entre os propósitos, está a erradicação do analfabetismo e a garantia de escola para todos. Para que esses objetivos sejam cumpridos, o projeto prevê uma série de medidas. Uma delas é a participação dos Tribunais de Contas da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios no acompanhamento da meta de ampliação do investimento público em educação. Estabelece ainda que a autoridade que não gastar no setor o que está previsto no orçamento poderá responder por crime de responsabilidade.

O Plano Nacional de Educação foi aprovado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) na última quarta-feira (27), numa reunião que durou pouco mais de dois minutos e sem a presença de parlamentares da base do governo.

O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM) se disse indignado, em pronunciamento que fez no Plenário. Ele considerou a votação de “uma estranheza enorme”, que “fragilizou o debate”. O senador informou que entregou toda a documentação necessária para que a Mesa do Senado possa se posicionar sobre a possibilidade de nova tramitação do projeto. A proposta foi enviada para o Plenário com pedido de urgência para a votação.

Agência Senado

Imprimir