Por administrador em 13/jun/2011

Sinpro:Seminário sobre Educação Ambiental desperta ações de sustentabilidade



O “1º Seminário Ambiental Educação para sustentação da vida- O futuro se constrói no presente”, realizado na Chácara do Professor reuniu mais de 150 educadores durante todo o dia de sábado, dia 11 de junho. Essa iniciativa inédita da diretoria colegiada do Sinpro-DF tem por objetivo discutir e aprofundar os debates e ações voltadas para conscientização da sustentabilidade e manter a ecologia como um tema permanente. É uma união de esforços em torno da construção de um sonho por um mundo mais justo, igualitário e sustentável para todos.

Em sua palestra de abertura do Seminário, a professora Ângela Antunes, diretora Técnico-pedagógica do Instituto Paulo Freire, falou sobre o tema: “Educação para a Sustentação da Vida”. Ela destacou vários modelos que podem ser implementados no ambiente escolar para valorizar a cultura ecológica. Ângela Antunes ressaltou a importância desse trabalho uma vez que, para a maioria das criança, o início de sua atuação público-política ocorre na escola.

A professora Yara Magalhães, presidente do Instituto Calliandra de Educação Integral fez parte do painel de debates, assim como a  Mestre em Planejamento em Geografia da UFG, a professora Josefina Morais, que fez uma abordagem sobre o tema: “Sete Saberes Essenciais para a Educação”. Ela citou os ensinamentos do antropólogo, sociólogo e historiador Edgard Morin, que é um dos cinco maiores pensadores da atualidade. Josefina Morais falou sobre as lacunas na educação ambiental apontadas nos estudos de Edgard Morin, no livro publicado por ele há 10 anos, onde ensina a unir o texto ao contexto, a sair da teoria para a prática para garantir um futuro melhor para as futuras gerações.

Ubiratan Franscico de Oliveira, Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e assessor de formação da CUT/Nacional, falou sobre “Os desafios da Educação Ambiental na sociedade contemporânea”. Ele chamou a atenção para a necessidade de nos questionarmos sobre o consumo desenfreado e suas implicações sobre a sobrevivência dos seres humanos.

“A força do meio rural, a riqueza do cerrado e esse espaço é um motivo único de contribuírmos para um mundo melhor. Acho que todos vocês professores, educadores estão com uma oportunidade nas mãos de fazer a diferença com a realização desse seminário e com esse espaço da Chácara do Professor”, disse Ubiratan. Ele também destacou o excesso de culpa da sociedade com relação a natureza. “As pessoas se culpam muito nas causas relacionadas à natureza, temos que questionar mas sem hipocrisia, jogar um papel de balinha no chão não pode ser motivo de autopunição e sim uma oportunidade de questionamento, de nada adianta não agir e não mudarmos nossa atitude e reação diante dos problemas que temos que enfrentar”, desabafou Ubiratan.

A professora Vera Catalão, Doutora em Ciência da Educação pela Universidade de Paris 8 e Mestre em Educação pela UnB, fez uma palestra sobre água com o tema: “A Água e suas se manifestações simbólicas”. Ela destacou o valor da água e as implicações do gasto desenfreado. “A água nos ensina desde o princípio da vida. O movimento é tudo. O que move gera o móvel, a memória primordial vem da água, é a matriz da vida. Nos lembra nossa origem desde o ventre materno. Nascemos com 80% do corpo de água e quanto mais água bebemos melhor é para nós; sempre. A água é senhora da informação, uma grande metáfora, ela sempre foge de todos os meios de opressão. Temos que trabalhar a educação  com criatividade e com a paciência que a mãe natureza nos ensina”, disse.  Vera destacou ainda dados de uma pesquisa recente em que mostra que de cada R$1,00 gasto com saneamento, são economizados R$ 5,00 com a saúde.

Após as palestras, educadores e educadoras ambientais do DF entregaram formalmente ao Sinpro, por meio da diretora Augusta Ribeiro, uma carta compromisso da categoria, que deverá ser enviada pelo Sindicato ao Governador. O documento, denominado  “Carta responsabilidade dos Educadores Ambientais – Por uma Educação para a Sustentabilidade”, foi resultado do quinto encontro desses educadores e  tem como objetivo contribuir no processo de enraizamento da educação ambiental nas escolas do DF.

Para ter acesso a integra da carta, clique aqui.

Nos intervalos do evento, os participantes assistiram à apresentação do Grupo de rap “Diga how” e do professor arte educador e diretor do Sinpro, Jairo Mendonça. De acordo com os diretores do Sindicato Iolanda Rocha e Sebastião Honório, o Seminário sobre Educação Ambiental vai se tornar uma pauta permanente no calendário anual de eventos da entidade.

Imprimir