Por administrador em 08/jun/2010

A QUEM INTERESSA ENFRAQUECER O SINPRO?



Diante do número e da insistência na divulgação de denúncias caluniosas contra o Sinpro, com objetivos claramente eleitoreiros, a diretoria do sindicato esclarece, mais uma vez:
Um patrimônio dos professores
O Sindicato dos Professores no Distrito Federal é um dos principais instrumentos de luta dos trabalhadores e da sociedade brasiliense; é também, hoje, um dos maiores sindicatos do Brasil.
Quando ao nosso povo era negado o direito de voto, o Sinpro foi uma das organizações que liderou a luta pela autonomia política do DF. Foram as professoras e professores, organizados em um sindicato combativo, que tomou a iniciativa, em Brasília, de organizar a luta pelo impedimento do ex-presidente Collor.
Durante os últimos trinta anos o Sinpro esteve à frente da organização dos professores e de todas as lutas por uma sociedade mais justa, mais ética, menos desigual. Mais recentemente, foi o Sinpro e a CUT que iniciaram a luta para derrubar o ex-governo Arruda e seus aliados.
Mesmo antes de ser aberta a “caixa de pandora”, o Sinpro foi ao Ministério Público denunciar a utilização de recursos públicos (verbas do Fundeb) para financiar o Correio Braziliense e a revista Veja – instrumentos da direita conservadora do Brasil, inimigos dos professores e que fazem campanha sistemática de combate às organizações dos trabalhadores no País inteiro.
Ao mesmo tempo, o Sinpro denunciou a contratação de projetos como o da “Ciência em Foco”, da Fundação Sangari e o de aceleração de aprendizagem da Fundação Roberto Marinho, que tinham como objetivo a terceirização da educação pública do Distrito Federal e que desmantelaram a educação de jovens e adultos e desmobilizaram laboratórios que já funcionavam nas escolas.
Juntamente com a CUT e demais sindicatos, barrou a privatização do plano de saúde dos servidores. Hoje sabemos que a privatização do plano de saúde dos servidores foi uma tentativa de pessoas inescrupulosas, que desejavam utilizar parte dos salários dos servidores para abastecer a caixa de pandora.
Nossos inimigos utilizam a eleição para nos dividir
Agora, no momento em que o Sinpro está em processo eleitoral, todas essas forças, cujos interesses foram contrariados, tentam enfraquecer nossa entidade. Por que, somente agora, surgem “denúncias” de que diretores do sindicato são financiados pela categoria para fazerem o trabalho sindical, se esta situação existe há muitos anos e foi causada pela proibição dos governos de FHC e Roriz que, para inviabilizar o trabalho dos sindicatos, proibiram a liberação de dirigentes sindicais?
Infelizmente, alguns membros da categoria, por ingenuidade, por má fé ou puro oportunismo, utilizam os mesmos métodos utilizados pelo DEM e o PSDB para combater os avanços por que passa o Brasil. Como nossos inimigos de classe, usam o discurso da desqualificação, da calúnia e das acusações sem provas, ao invés de apresentarem propostas concretas para a categoria. Não vêem que, ao se utilizarem de tais métodos, estão na verdade dividindo os professores e enfraquecendo nosso maior patrimônio – o Sinpro.
A diretoria do Sinpro repudia, mais uma vez, as calúnias e as mentiras espalhadas pela cidade nos últimos dias e está tomando as providências legais para preservar nossa entidade. Ao mesmo tempo, a diretoria do sindicato conclama a todos (as) os sindicalizados (as) a votarem na eleição que ocorrerá nos próximos dias 9 e 10. Um sindicato cada vez mais forte é resultado da participação de cada sindicalizado (a).

Diretoria Colegiada do Sinpro

Imprimir