Por administrador em 05/out/2013

Profissão Professora – Desafios da Carreira



daniella 200x200Daniela Aguirre é professora desde janeiro de 1998, profissão que seguiu se espelhando na mãe, que foi professora na Fundação Educacional. A educadora conta que escolher a profissão foi uma decisão complicada, já que havia saído do Colégio Militar e não queria fazer o vestibular, e sim magistério. Então fez uma complementação em 1997 e antes mesmo da finalização do curso havia passado para o cargo público. “A arte de ensinar é uma tarefa difícil para que alguém se envolva nela por comodismo, falta de algo melhor, ou pelo sonho de um grande salário”, diz.

 

A sua primeira experiência foi em uma escola localizada na zona rural de Vargem Bonita. “Meu primeiro choque. A escola na época era muito carente e usávamos retalhos de papel de outras escolas. No segundo semestre ampliei minha carga para 40 horas, com isso trabalhava na Candangolândia e na Vargem Bonita. Fazia tudo isso de ônibus, era uma loucura, mas sempre amando”, lembra Daniela.

 

O acesso, a progressão e as oportunidades mostram a desigualdade entre as instituições, que dependem da localidade ou do gestor. “Fui enviada para o CEI do Núcleo Bandeirante. Aí conheci o céu. Escola com muito material, pais presentes, festas e meu primeiro contato com os projetos. Mas pediram para eu entrar na remoção e fui para o Recanto das Emas para trabalhar 40 horas apenas nessa escola”, conta.

 

A professora afirma que a educação precisa ser um dos vetores do progresso social, com escola igual para todos. “Aprendi a amar mais ainda o que eu fazia, pois estava num lugar que tudo era agradecido pelos alunos. Descobri o que era uma boca de fumo, o cheiro da maconha, os efeitos da cocaína e da merla, onde ficava o CAJE e pela primeira vez vi um cadáver de perto. Meu sonho de consumo era um muro da Escola Classe 801 do Recanto das Emas. Apliquei tudo que aprendi de projetos em uma turma de aceleração de alfabetização. Era a turma que só poderia ter 25 alunos e tinha 30, a maioria com algum transtorno ou deficiência”, destaca a professora.

 

Após atuar nas escolas CEI, RFII, Jardim RFII, SHISUL, ser supervisora da Escola Classe 45 de Taguatinga e atualmente trabalhar na Escola Classe 04, Daniela revela que os profissionais da educação possuem vários desafios, que passam pela necessidade de se elaborar com criatividade os conhecimentos teóricos e críticos sobre a realidade e a preocupação dos professores serem considerados como parceiros/autores na transformação da qualidade social da escola, compreendendo os contextos históricos, sociais, culturais e organizacionais que fazem parte da atividade docente. “O maior desafio, hoje, para mim, é a estrutura para trabalharmos. O governo acredita que com cadeira, mesa e quadro conseguiremos atingir os objetivos que eles propõem. Sinto-me dentro de um vidro, que vai passando de mão em mão e o Estado não sabe o que fazer”, desabafa a professora.

 

Outro desafio levantado por Daniela é a sociedade imediatista e de consumo. Daniela questiona o fato dos pais acharem que é obrigação dos professores aprovarem o estudante e que os pais não os vejam como babás de luxo que cuidam dos filhos por 5 horas semanais. “Que possamos estimular nossos alunos com todas as condições possíveis, que possam dar bons resultados e tenham opções do que querem ser como eu pude. Que nós professores sejamos uma unidade e não unitário”, argumentou. “O salário não é o que mantêm o professor na carreira, na grande maioria dos casos.  Sabemos que a categoria é mal remunerada. Na realidade, o trabalho tem início com a preparação das aulas, continua  em sala de aula e prossegue após as aulas,  com a correção de trabalhos, provas, cadernos e apostilas”, ressalta.

 

“Nós precisamos ter melhores condições de trabalho, tanto financeira quanto profissional. Que tenhamos muitos professores que amem a profissão e não o cargo de servidor público. Amo ser professora mesmo com todas as dificuldades. Hoje, como professora do 5º ano, me sinto fora desse ‘pote governamental’. Por isso ainda acredito que vale a pena”, comemora.

 

Nome: Daniela Aguirre

Função: Professora

Tempo de magistério: 15 anos

Escola: Escola Classe 04

 

Ver mais…

Imprimir