Por administrador em 07/nov/2013

Professores ativos e aposentados comparecem a Ato Público e comemoram mais uma vitória da luta



principal_07 11 13

A categoria compareceu em bom número ao ato público realizado na manhã desta quinta-feira (07), na Praça do Buriti, e ouviu da diretoria do Sinpro a proposta apresentada pelo Governo do Distrito Federal de correção da tabela salarial para as professoras e professores aposentadas(os) proporcionalmente na reestruturação do Plano de Carreira do Magistério do DF. Durante reunião na última quarta-feira (06) com a Comissão de Negociação do Sindicato, o GDF recuou e apresentou uma proposta de correção da tabela salarial para esta parcela de educadores.

Durante o ato os diretores fizeram um resgate da luta iniciada em maio de 2013 e afirmaram que apesar de não ser a proposta dos sonhos, o passo dado pelo governo representa uma grande conquista política para os professores e professoras aposentados. “É importante salientar que os aposentados, pelo regime de aposentadoria, não tinham direito a esta correção da tabela salarial. Portanto, é uma conquista política”, afirma a diretora do Sinpro e coordenadora da Secretaria de Assuntos dos Aposentados, Isabel Portuguez, salientando que a vitória foi fruto da organização da categoria, que arrancou esta proposta do GDF apesar do governo dizer que não iria atender as reivindicações dos 2 mil profissionais aposentadas(os).

 

Entenda a proposta

A proposta para corrigir as distorções salariais entre os(as) aposentados(as) integralmente e os(as) que se aposentaram proporcionalmente garante, para os proporcionais, o mesmo índice que foi aplicado quando da implantação do Plano de Carreira em aposentadorias integrais. Porém, o índice de reajuste a ser aplicado será aplicado através de cálculo individual, levando-se em conta as tabelas aprovadas com o Plano de Carreira, a projeção de cálculo de reajuste caso o (a) professor (a) tivesse sido aposentado (a) integralmente, e a diferença entre esses dois cálculos será o índice a ser aplicado.

A correção da tabela salarial, segundo a proposta do GDF, não se aplica aos aposentados (as) que tiveram reajuste superior a 23,73%. A proposta também ressalta que, devido aos cálculos individuais, os índices são variáveis e podem corresponder a R$ 100,00 ou até R$ 1.500,00. Segundo o GDF, a correção salarial implicará num gasta de R$ 8 milhões mensais.

Clique aqui e veja a proposta apresentada pelo governo

Imprimir