Por administrador em 24/out/2013

Professores estaduais do Rio encerram greve em assembleia agitada



Os profissionais da rede estadual de ensino decidiram encerrar nesta quinta-feira (24) a greve iniciada no dia 8 de agosto. A assembleia foi realizada no Clube Municipal, na Tijuca, zona Norte do Rio, e reuniu cerca de 600 professores, de acordo com informações do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). A reunião foi marcada pela intensa discordância entre os que queriam a manutenção da greve e os que queriam encerrá-la, aceitando o acordo do governo.

Em meio a momentos de tensão, a assembleia ficou dividida, e teve bate-boca, discussões e correrias entre os grupos opositores. Dez representantes de cada grupo discursaram e, entre os que apoiavam a continuidade da greve, estava Elisa Quadros, a ativista “Sininho”, que pediu pelo prosseguimento da paralisação. A jovem foi uma das presas no protesto do dia 14 deste mês e foi liberada neste sábado (19).

Reunião com Luiz Fux em Brasília garante acordo

A assembleia foi realizada para analisar e decidir se o acordo anunciado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, após reunião realizada em Brasília com representantes do estado do Rio, da prefeitura e do sindicato dos professores, seria aceito pela categoria. Estiveram presentes no encontro o secretário da Casa Civil do Governo do Rio de Janeiro, Regis Fichtner, e o secretário da Casa Civil da Prefeitura do Rio, Pedro Paulo Carvalho Teixeira.

Depois de cinco horas de reunião, o ministro informou que havia um acordo para o fim da greve, tanto na rede estadual quanto na rede municipal de ensino.

No caso da rede estadual, ficou acertado que a greve cessaria nesta quinta (24) e as aulas seriam retomadas na sexta-feira (25). O secretário estadual da Casa Civil, Regis Fichtner, anunciou posteriormente que o acordo com o sindicato dos professores havia sido firmado. Ficou imposto que a reposição de aulas deve ser feita para que não haja corte do ponto nos salários dos professores que aderiram à greve. Além disso, ficou criado um fórum de discussão entre os professores e o governo, para avaliar as reivindicações pedagógicas da categoria, como autonomia pedagógica e carga horária.

Rede municipal decide rumos nesta sexta

Nesta sexta-feira (26), é a vez dos professores municipais decidirem o rumo da greve na rede. A assembleia dos profissionais será realizada no mesmo local desta quinta-feira. O acordo para estes inclui reajuste de 15% oferecido pela Prefeitura, além da compensação dos dias parados.

Jornal do Brasil

 

 

Imprimir