Por administrador em 05/nov/2014

Professores de Campo Grande rejeitam proposta da Prefeitura e optam por greve



Os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) de Campo Grande deverão entrar em greve a partir desta quinta-feira (6). A categoria rejeita proposta da Prefeitura em relação ao cumprimento da chamada Lei do Piso.

Com a rejeição da oferta, os professores, reunidos na sede da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), estudam que medidas tomar. Conforme advogados da entidade, uma delas é acionar a Justiça e tentar, via liminar, obrigar o município a pagar o reajuste. A decisão ocorreu durante assembleia da categoria, realizada na segunda-feira (3).

A outra possibilidade é iniciar a greve. Esta possibilidade foi acatada pela maioria durante votação – na prática, a paralisação começa na quinta porque são necessárias 48 horas para comunicar o movimento a diretores de escolas e pais de alunos.

Para atender a Lei do Piso, a Prefeitura precisa reajustar o salário-base dos professores em 8,46% e, conforme promessa feita pelo próprio prefeito, Gilmar Olarte, em maio, o pagamento seria feito até o fim deste ano.

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, é solidário aos professores da REME. “Por meio de muita luta, inclusive com paralisações, conseguimos que o governo do estado olhasse para nossa causa e implantasse a política do piso para 20h. Nossos colegas do município devem seguir firme e somos solidários a eles para que tenham essa conquista e cada vez tenhamos uma educação pública de qualidade”, finaliza.

Fonte: CNTE/FETEMS, 05/11/2014

Imprimir