Por administrador em 22/abr/2009

Para GDF, diretores não podem pensar



A professora Rosa Maria de Campos deu uma demonstração de ética, dignidade e respeito à categoria. Ela decidiu pedir exoneração do cargo de diretora que ocupava no CEF do Vale do Amanhecer porque se recusa a substituir professores em greve por temporários. “Comuniquei o fato ao Conselho Escolar, expliquei as minhas razões. Não aceito participar de uma gestão escolar neste governo, em que as direções não podem pensar e têm que fazer o que eles mandam sem questionar”, afirmou.
Ela decidiu tomar essa decisão porque em carta enviada pela Internet a Secretaria de Educação avisa que os diretores que se recusarem a fazer a substituição seriam exonerados. “Informei que isso não seria necessário, porque eu mesmo pediria a exoneração, porque não faria a substituição. Além dos evidentes prejuízos pedagógicos da medida, não seria eu a compactuar com a tentativa de minar o movimento da categoria”, afirmou ela.
O Sinpro parabeniza a professora pela atitude corajosa. Ela demonstrou que tem compromisso com uma educação de qualidade e com a categoria. O cargo é transitório, mas dormir de consciência tranqüila não tem preço. Rosa Maria deu uma lição de cidadania.

Imprimir