Por administrador em 19/fev/2010

P.O. diz que fica. CUT-DF quer fim da corrupção



O pronunciamento do governador interino do Distrito Federal, Paulo Octávio, feito na tarde de hoje (18), pegou várias pessoas, inclusive parlamentares, de surpresa. Sob a alegação de querer “ser um facilitador para normalização da política e administrativa da cidade”, Paulo Octávio disse que vai aguardar as decisões da Justiça para novamente analisar sua renúncia. “Na próxima semana, decisões importantes do Supremo Tribunal Federal poderão mudar a vida de Brasília. Por isso, apesar de ter a minha carta em renúncia própria já entregue a líder do meu partido na Câmara Legislativa, deputada Eliana Pedrosa, eu aguardo mais alguns dias para que possamos ter o quadro das decisões que a Justiça deverá apresentar na próxima semana”, afirmou Paulo Octávio em discurso.

Em seu discurso, Paulo Octávio ainda reclamou da falta de apoio político, o que, para ele, pode emperrar as condições para governar. “Estou convicto da importância da governabilidade, mas tenho limitações que me são impostas pela falta de apoio de importantes setores da comunidade de Brasília”, afirmou.

Impeachment
Ainda nesta quinta-feira, a Procuradoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal aceitou três dos cinco pedidos de impeachment contra o governador em exercício, entre eles o da CUT-DF.

No pedido da Central, Paulo Octávio é enquadrado nos crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa e passiva, fraude a licitações e crime eleitoral.

Os pedidos de impeachment seguem agora o mesmo trâmite dos pedidos de afastamento e impugnação de mandato feitos contra o governador afastado José Roberto Arruda.

Ações
A CUT-DF continuará atuando para que a corrupção seja extinta do Distrito Federal. “Continuaremos trabalhado pela saída de Paulo Octávio do governo do Distrito Federal”, afirmou a presidente da CUT-DF, Rejane Pitanga, que, representando a Central, protocolou no dia 12 de fevereiro pedido de impeachment contra o governador em exercício.

A Central ainda não tem uma agenda fechada de atividades, mas articulará suas ações e, em breve, as disponibilizará em seu site.

Fonte: Assessoria de Comunicação da CUT-DF

Imprimir