Por administrador em 12/dez/2013

Nota em defesa da vida do presidente da FETEMS



A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa de mais de 3 milhões de profissionais da educação básica pública no país, vem a público cobrar das autoridades Federais e do Estado de Mato Grosso do Sul, imediata investigação às ameaças de morte sofridas pelo presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul – FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, bem como medidas protetivas ao sindicalista, que se encontra engajado na luta contra a pretensão de fazendeiros de arrecadarem fundos para a compra de armas e a contratação de seguranças armados para enfrentar os indígenas no Estado.

As ameaças sofridas por Roberto Botareli assemelham-se a outras que sindicalistas de todo país estão submetidos, por estarem engajados na luta contra desmandos de grupos reacionários que insistem em afrontar a lei e os direitos humanos no país.

A CNTE reitera o pedido da Central Única dos Trabalhadores – CUT ao Ministro da Justiça e à Presidência da República, para que a Polícia Federal e outros órgãos de repressão a crimes federais intercedam nas investigações às ameaças sofridas pelo presidente da FETEMS, uma vez que os indícios dos fatos vinculam tais ameaças à preocupante luta dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul.

A CNTE espera que medidas urgentes e eficazes sejam tomadas pelas autoridades competentes, a fim de proteger a vida de Roberto Botareli e de garantir os princípios do Estado Democrático de Direito na questão que envolve a disputa de terras indígenas no país, em especial em Mato Grosso do Sul.

Brasília, 9 de dezembro de 2013

 

Imprimir