Por administrador em 19/mar/2014

Nota de repúdio a ação policial em Vitória



A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa de mais de 3 milhões de profissionais das redes públicas de ensino de Educação Básica no país, repudia, veementemente, a ação violenta da Polícia Rodoviária Federal contra educadores que se manifestavam em Vitória, no Espírito Santo, por melhores condições para a categoria.

Nessa segunda-feira, dia 17/3, primeiro dia da Greve Nacional, os educadores fecharam uma pista da BR-101, perto do aeroporto, na Região Metropolitana de Vitória, e a Polícia Rodoviária Federal lançou bombas de efeito moral para liberar o trânsito. Uma professora chegou a passar mal e um policial usou spray de pimenta contra dois manifestantes (veja as fotos retiradas do vídeo do Jornal Nacional).

vitoria1vitoria2vitoria3

A CNTE condena toda ação policial em desfavor de movimentos organizados por Sindicatos de Trabalhadores e vem a público defender o direito do trabalhador que participa da greve nacional na luta por uma educação pública de qualidade. Os educadores exigem o cumprimento da lei do piso, carreira e jornada, investimento dos royalties de petróleo na valorização da categoria, votação imediata do Plano Nacional de Educação, destinação de 10% do PIB para a educação pública, contra a proposta dos governadores de reajuste do piso e contra o uso do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) como base para correção.

Os excessos cometidos pela PRF são inaceitáveis, tendo em vista que a manifestação é legítima e a ação truculenta feriu direitos individuais e coletivos de quem se dedica a mudar o Brasil pela Educação. É preciso dar um basta à violência e ao desrespeito contra aqueles que trabalham para construir um futuro de desenvolvimento para todos os brasileiros.

Brasília, 18 de março de 2014.
Roberto Franklin de Leão
Presidente

Imprimir