Por administrador em 28/mar/2012

Nossa luta não é só por reajuste, lutamos pela valorização da carreira



Apesar de todos os ataques do governo e da ameaça de corte de ponto, as professoras e os professores do DF continuam firmes na luta, porque sabem que a luta não é só por reajuste, mas pela valorização e fortalecimento de nossa carreira. O acordo feito em abril de 2011prevê isso, ao deixar bem claro que o primeiro ponto proposto pelo GDF é “a instalação de uma mesa permanente de negociação específica para discussão e elaboração, até setembro de 2011, de projeto de lei reestruturando o Plano de Carreira do Magistério Público do DF, a ser implantado em três etapas: março de 2012, março de 2013 e março de 2014”.

O Plano de Carreira, é preciso lembrar, é uma lei que dará solução a várias questões funcionais dos professores. É nesta discussão que iremos tratar, por exemplo, da incorporação da Tidem, para evitar redução de aposentadoria e de uma solução definitiva para a situação de mais de 20 mil professores que eram da antiga classe I e II, ou das atuais classe C ou B e que têm seu enquadramento na Classe A questionado pela Justiça (artigo 15 do atual plano de carreira). São questões bastante sérias e que afetarão a vida funcional de milhares de professores.

Ou seja, não é a ameaça de corte de ponto que pode nos intimidar, até porque temos o compromisso com a reposição e ela tem que ser paga. O GDF está ameaçando porque percebeu que o movimento da categoria está mais forte a cada dia. Infelizmente eles apostam no confronto e se recusam a negociar verdadeiramente uma solução para o impasse, mas não entendem que a categoria só fica mais unida e disposta para a luta quando sente que estão tratando com descaso as suas reivindicações.

Imprimir