Por administrador em 16/dez/2013

No Itapoã, alunos têm a formatura dos sonhos



A quadra de esportes do colégio CEF Dra. Zilda Arns, no Itapoã, virou palco de uma noite de muita emoção na colação de grau e baile de formatura de 320 alunos da rede pública. A festa foi organizada pela Subsecretaria de Mobilização Social e Promoção do Distrito Federal, por meio do projeto Formatura Legal, da Secretaria de Justiça.

Apesar do atraso de 40 minutos, que deixou alguns convidados ansiosos, as cadeiras espalhadas pela quadra foram ocupadas por familiares e amigos orgulhosos. Cada aluno teve direito a convidar quatro pessoas para a cerimônia. Luis Henrique, 14 anos, chamou os pais e a irmã. “Está um pouco atrasado, mas está bom, tudo muito bonito. Se não fosse por esse presente, iríamos fazer uma festinha simples em casa só para ele”, confessa o pai, Luis Carlos.

Encantada com a festa e emocionada pelo irmão, Laurícia Rodrigues, 13 anos, espera ter uma comemoração igualmente bela. “Estou passando para a oitava série agora. Vai ser emocionante estar no lugar dele ano que vem”, confessa a irmã de Luis Henrique.

Passagem

A cerimônia marcou não só uma passagem importante na vida acadêmica dos alunos, que agora estão a caminho do Ensino Médio, mas também uma despedida. O colégio Dra. Zilda Arns só vai até o Ensino Fundamental. Lucas Matias, de 14 anos, formando da turma 807, irá estudar em um colégio no Paranoá e está ansioso: “Foi difícil chegar até aqui, mas consegui com a ajuda dos meus professores. Vou sentir muita falta deles, principalmente do de matemática, minha matéria favorita”.

No início da cerimônia, duas alunas, Elizabeth Christina Gomes e Maria Gabriele, fizeram  discursos  de agradecimento em nome de todos os alunos ali presentes. Emocionada, Maria Gabriele  desabou em lágrimas ao assumir a saudade que irá sentir dos amigos, das salas de aulas, dos professores e do recreio: “Nós teríamos uma vida desinteressante e desperdiçada, se não fosse pela escola e as dificuldades que cada um de nós tivemos que passar. Nós somos jovens e temos o mundo nas nossas mãos, podemos mudá-lo”.

Prontos para enfrentar o futuro 

Sentado à mesa, ao lado dos professores, estava o administrador de Itapoã, Paulo Gonzaga dos Santos. Para ele, a escolha da região administrativa para o projeto Formatura Legal, foi mais que bem-vinda. “A nossa cidade é discriminada, muitas vezes pela forma  que nasceu (referindo-se à invasão da área). Não temos uma identidade definida ainda para o resto do DF“, lamenta o administrador.

Depois de agradecer aos professores e lembrar que para que existam todas as outras profissões é necessário que todas as crianças passem por uma sala de aula, Gonzaga orgulhosamente apresentou os alunos como os futuros médicos, engenheiros e advogados de Brasília.

Orgulho

“De dentro dessas salas de aulas tivemos alunos para nos orgulharmos neste ano. Tivemos um aluno que foi representar o Centro-Oeste a nível nacional em uma olimpíada acadêmica. Os jovens de Itapoã são capazes para serem o que quiserem no futuro”, valorizou Gonzaga.

(Do Jornal de Brasília)

Imprimir