Por administrador em 11/out/2012

Neuropedagogia para Educadores e Pais: palestra gratuita para professor/a sindicalizado/a



 A década passada foi considerada a década do cérebro, pois as neurociências tiveram enorme desenvolvimento e passaram a subsidiar as práticas do ensino.  A Neuropedagogia Tricerebral nasce no bojo dessas concepções holísticas, de maneira que se constitui numa visão integradora, transdisciplinar, globalista, oferecendo inicialmente uma nova visão de mundo, de homem e de aprendizagem, pois esta sempre decorre da maneira como concebemos o aprendiz.

Pensar a Neuropedagogia  implica trabalhar também com instrumentos que favoreçam uma ação integrada, buscando uma prática pedagógica que desenvolva e aperfeiçoe os processos mentais triádicos do aluno, permitindo-lhe organizar conceitos, tomar decisões e implementar ações em busca de resultados significativos.

Para esclarecer melhor sobre esse conceito a Academia Brasileira de Cibernética Social Proporcionalista convida professores e professoras para conhecer mais sobre o tema, participando de um seminário cuja primeira fase será no dia 16 de outubro, terça-feira, de 19h às 21h30, na sede do Colégio Sigma, na Avª L 2 Norte, Q.606. A taxa de participação é de R$ 30, mas os sindicalizados ao Sinpro terão isenção da taxa mediante a apresentação da carteirinha do Sindicato.

Segundo os organizadores do evento,  a Cibernética Social Proporcionalista começou há 30 anos. Aqui mesmo, em Brasília, nos anos 90, houve a experiência de uma cooperativa, que se criou um jardim de Infância, o “Planetinha”, experimento que funcionou com êxito comprovado durante cinco anos.

A professora Colandi Oliveira, uma das organizadoras, afirma que a proposta foi uma tentativa de superar os modelos cartesianos e divisionistas do ser humano até então predominantes da área. Anos mais tarde foi conduzido um experimento em uma Creche com duração de três anos que comprovou o poder das neurociências no trabalho com crianças pequenas, apoiando-as em seu desenvolvimento integral. Concluiu-se também a importância do envolvimento dos pais e primeiros educadores infantis no posterior desenvolvimento da criança.

“As propostas que alimentam alguma esperança em uma nova educação são as que tomam o cérebro como a grande encruzilhada da convergência educacional – ciências cognitivas, psicologia evolutiva, neurociências etc. Somos defensores dessa tendência e da teoria tricerebral ou do cérebro triúno que permite resolver o problema da integração transdisciplinar na forma apresentada pela Cibernética Social Proporcionalista”, afirmou ela.

Para mais informações: 3274-4915, 3346-4710, 9212-1757, 8118-8003 e 9979-0501

 

Imprimir