Por administrador em 12/out/2008

Muito mais do que uma piscina



Nesta terça, dia 14, muito mais do que uma piscina será inaugurada no Centro de Educação Infantil 04 de Taguatinga.Resultado do esforço dos professores, com o engajamento da comunidade escolar, na verdade se concretizará o sonho de ter uma piscina adaptada, pensada e dirigida para os alunos com necessidades especiais que são atendidos na escola. Mais: é parte de um sonho de professores que saíram em 2006 de um Centro de Ensino Especial para viver o desafio da educação inclusiva, porque acreditavam que isso era possível.

Enquanto conta a “saga” do processo de transformar a escola em um espaço que pudesse receber os alunos da educação precoce, Helaine de Fátima da Silva, consola e acalma um garotinho que chega e a abraça, dizendo: mamãe ainda não chegou. Com a mesma doçura e firmeza que usa para atender acriança, a professora relata que salas foram divididas e adaptadas para o atendimento, mas faltava garantir o trabalho na água, fundamental para o desenvolvimento psicomotor da criança com necessidades especiais. A idéia inicial era fazer uma piscina mais simples.Enfrentando o descrédito de muitos, que não acreditavam nem que a Secretaria iria liberar a construção, os professores mobilizaram a comunidade escolar e fizeram uma galinhada, primeiro evento para arrecadar recursos para a construção.
Esse esforço envolveu em empresário da cidade que havia estudado no CEI 04 quando criança. Foram realizados três bingos empresariais, enquanto se fazia os estudos para a melhor piscina, a mais adequada, como deveria ser construída. Na piscina coberta os vestiários e o banheiro são adaptados. Os professores farão o atendimento com todos os recursos e apoios recomendados. A piscina também atenderá aos alunos sem necessidades especiais que estudam na escola.
Para Helaine, o espaço mostra que quando se age de maneira coletiva é possível transformar uma realidade. “Esse mérito ninguém irá nos tirar, fomos à luta e conseguimos construir esse sonho”, afirmou a professora, percorrendo, orgulhosa, ainda ao lado de operários que dão os retoques finais, a obra que ela denomina sonho.

Imprimir