Por administrador em 02/dez/2009

Manifestantes ocupam Câmara Legislativa



Cerca de 150 manifestantes invadiram o plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal nesta quarta-feira (2). Eles gritavam palavras de ordem pela saída do governador José Roberto Arruda e do vice, Paulo Octávio, do cargo. Os manifestantes gritavam “Arruda na Papuda. PO [Paulo Octávio] no xilindró” e cantaram o hino do Brasil. De acordo com a PF, Arruda (DEM) teria recebido dinheiro não declarado de empresas privadas para sua campanha, em 2006. Octávio, do mesmo partido, também é citado nas investigações.

Os manifestantes também exibiram faixas em que pediam o fim da “gang da vovó”- em referencia à deputada Eurides Brito (PMDB), de 72 anos, envolvida no escândalo.

Dentro do plenário, os manifestantes disseram, por meio de megafone, que querem permanecer na Câmara do DF “como na ocupação da UnB (Universidade de Brasília), até a situação se resolver”.

Oposição entra com quinto pedido de impeachment contra Arruda

O PT e um conjunto de movimentos sociais protocolaram um novo pedido de impeachment do governador do Distrito Federal na Câmara Legislativa, nesta quarta-feira (2). O documento é assinado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), UNE (União Nacional dos Estudantes) e outros movimentos sociais.

O pedido é o quinto protocolado na Casa. O PSOL e o pastor Osésa Rodrigues de Oliveira, que representa a Ordem dos Ministros Evangélicos do Gama, já haviam feito pedidos semelhantes hoje. Ontem, dois deputados fizeram o mesmo. A Constituição permite que qualquer cidadão faça o pedido de impedimento. Amanhã deve ser a vez da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal.

Ao menos dez deputados (dois deles suplentes), além de Arruda e três secretários do Distrito Federal são suspeitos de participar de pagamento de propinas no governo do DF, esquema investigado pela Polícia Federal.

O pedido feito pelo PT ser encaminhado pela Mesa Diretora da Câmara à CCJ (Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça). Depois, deve ir ao plenário da Câmara. O trâmite regimental só permite que o pedido seja votado depois de ser publicado em um diário oficial do DF, geralmente no dia seguinte ao protocolamento.

O pedido necessita da aprovação de 16 dos 24 deputados distritais. A ideia do PT, de acordo com Cabo Patrício, o novo presidente da Câmara após o afastamento de Leonardo Prudente (DEM) – também envolvido no escândalo -, é votar o pedido já nesta quinta-feira (3).

A oposição ao governo Arruda, até a semana passada, só era formada por cinco deputados do PT e do PDT. Os deputados esperam o auxílio dos partidos que saíram da base de apoio a Arruda nesta semana -PSB, PPS e PSDB. O PMDB só deve se pronunciar sobre o assunto na próxima segunda-feira (7). Da agência UOL.

Imprimir