Por administrador em 03/jun/2009

Manifestantes se mobilizam em defesa da Petrobras



Cerca de duas mil pessoas vindas de vários cantos Brasil se aglomeraram hoje (3) em frente ao Congresso Nacional para protestar contra a Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) proposta para apurar supostas irregularidades na gestão da Petrobras e da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A atividade, organizada pela CUT e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), já foi realizada em vários estados do Brasil e é integrada à campanha “Por uma nova lei do petróleo, pela retomada do monopólio estatal e em defesa da Petrobras pública e com compromisso social”. O objetivo da campanha é criar uma lei do petróleo que acabe com leilões e crie um fundo social soberano para gerir as riquezas do pré-sal, o que garantiria a destinação de grande parte dos recursos financeiros da comercialização do material para programas e políticas públicas de educação, combate à pobreza, cultura, saúde, entre outros.

A intenção inicial da Central no ato de hoje era de realizar uma ocupação pacífica do Congresso. Entretanto, a pedido da presidência da Casa, o acesso ao Salão Verde da Câmara dos Deputados foi isolado para impedir a entrada dos manifestantes. “Isso significa a distância dos interesses do Congresso Nacional em relação aos interesses da população brasileira, ou seja, é uma casa que não reflete nossa representação e deveria ser a Casa do povo, mas, infelizmente, não é”, denunciou a presidente da CUT-DF, Rejane Pitanga.

Para o presidente da CUT, Artur Henrique, a instalação da CPI não é justificável. “O Brasil tem instrumentos como a Controladoria Geral da União, o Ministério Público, o Tribunal de Contas e vários outros instrumentos para que seja feita a orientação e o acompanhamento dos contratos das empresas”, disse. Para o presidente, a instalação da CPI contra a Petrobras não passa de uma manobra dos parlamentares de direita. “Na nossa avaliação, a CPI tem como único objetivo inviabilizar o governo Lula, inviabilizar o PAC, inviabilizar os investimentos que essa empresa está fazendo como forma de superar a crise. O que os parlamentares do PSDB e do DEM querem é, apostando no ‘quanto pior melhor’, tentar fazer sua candidatura em 2010 crescer”, afirmou.

Impasse
A instalação da CPI da Petrobras, criada a pedido do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), deveria ter sido feita nessa terça-feira (2), mas foi adiada por falta de quorum e remarcada para esta quinta-feira (4), às 11 horas. A insuficiência do número de senadores presentes é fruto da divergência entre governo e a oposição para a ocupação dos cargos de presidente e relator da CPI. De acordo com o líder do bloco de apoio ao governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), os senadores governistas só darão quorum para a eleição se os parlamentares da oposição abrirem mão da relatoria da CPI das ONGs. (do site da CUT)

Imprimir