Por administrador em 02/abr/2013

Manifestação reivindica profissionais qualificados para atender estudantes com autismo



Representantes do Sinpro, da Associação Brasileira de Autismo, do Movimento Orgulho Autista do Brasil, além de professores e pais de alunos da Escola Classe 111 Sul realizaram, durante a manhã desta terça-feira (02), uma manifestação para reclamar da falta de professores e monitores para atender estudantes com autismo, e da exclusão dos alunos do atendimento na Escola Parque 308 Sul. No colégio há seis alunos autistas que têm aulas em separado dos demais estudantes. Uma vez por semana todas as crianças, com exceção dos autistas, vão para a Escola Parque para aulas de música, teatro e natação. O protesto aconteceu no Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

Segundo o diretor da 308 Sul, Paulo César Lima, faltam profissionais qualificados para atender todas as crianças com necessidades especiais. “Chega a ser uma questão de segurança. Pode acontecer um acidente pela falta de gente e eles podem até ter um retrocesso na aprendizagem. Teríamos de ter pelo menos o dobro de gente que temos hoje”, disse. Já a diretora da EC 111 Sul, Juciane Melo, salienta sobre a necessidade de se investir na capacitação. “A regional de ensino está dando aulas para a gente a cada 15 dias, só que é a escola que tem que ir atrás”, afirma.

Após a manifestação as entidades se reuniram com autoridade do Governo do Distrito Federal (GDF) e parlamentares para discutir políticas públicas de inclusão das pessoas com a síndrome.

Imprimir