Por administrador em 28/mar/2014

Manifestação pede 10% do PIB para educação pública



Na última quarta-feira (26) a UNE, UBES e entidades de ensino locais se reuniram na Esplanada dos Ministérios para uma manifestação que cobrava 10% do PIB para a educação pública, melhorias estruturais nas escolas e valorização dos professores da rede pública de ensino. Ainda compareceram ao evento representantes do MCCE e Aldo Arantes, da comissão pela Reforma Política da OAB.

Aldo, que também foi presidente da UNE durante o regime militar, iniciou a sua fala rendendo homenagem aos estudantes universitários e secundaristas do Brasil e a duas figuras que marcaram a luta pela democracia e contra a ditadura, Edson Luís e o ex-presidente da UNE, o goiano, Honestino Guimarães; mortos durante a ditadura.

Para Aldo, mesmo com a constituinte, há no Brasil problemas estruturais que ainda não foram resolvidos. “Diversas reformas não foram aprovadas até agora, porque a maioria dos eleitos no Congresso Nacional, o foram, pelo poder do dinheiro. Para acabar com isso é necessário que as mulheres, a juventude, os trabalhadores, se unam por uma reforma política. Não qualquer reforma, mas uma reforma política democrática, vinda do povo.”

Ele ainda lembrou que a Reforma Política Democrática que é composta pelo MCCE, CNBB, OAB, UNE, CTB, ao todo, mais de 90 entidades da sociedade civil apresentaram um projeto de lei na Câmara do Deputados. Disse também que é preciso pressão popular, unir o povo brasileiro e principalmente a “juventude que nos momentos decisivos da história política do Brasil honrou o papel de moralizar a sociedade brasileira.”

Disse que é hora de sair às ruas para coletar assinaturas para a reforma política que acabe com o financiamento por empresas, que adote a eleição proporcional em dois turnos, que garanta a paridade de gêneros nas listas e que amplie a democracia direta, dentre outros.

Aldo finalizou o seu discurso informando sobre a criação da Coalizão Parlamentar pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.

Imprimir