Por administrador em 25/jan/2011

Maneiras de alcançar autonomia por meio da educação



O tema foi debatido no último sábado (22) durante a primeira Conferência Mundial da Mulher, em Bangkok, na Tailândia. As participantes destacaram a importância da educação para autonomia feminina. “Não há dúvidas de que uma educação de qualidade reforça a posição da mulher tanto no âmbito familiar como no social” disse a Diretora da Divisão de Igualdade de Gênero da Unesco, Saniye Gülser durante sua palestra. Segundo dados da Internacional da Educação, as meninas representam 54% do total de crianças que estão fora da escola e as mulheres, dois terços dos adultos que são analfabetos. Para as participantes do debate é preciso fazer com que os governos atuem na promoção de paridade de gêneros na educação primária para que dados como esses sejam eliminados.
Carolyn Hannan, ex- Diretora da Divisão para o Avanço da Mulher (ONU) e uma das palestrantes chamou a atenção para o nível de escolaridade das mulheres. Para ela, até agora, o foco estava na educação primária e é preciso que se dê mais atenção ao ensino médio já que, para ela, é este nível de educação que permite que as mulheres adquiram mais autonomia e consigam melhores empregos.
Durante o debate foi apresentada uma campanha mundial para o incentivo da volta de meninas para escola. As participantes também lembraram problemas como a exploração sexual e o tráfico internacional de meninas. Durante os outros painéis do dia foram abordados temas como a importância do esporte e da educação física para as meninas e como enfrentar a discriminação dentro desta área da mesma maneira como se trabalha no caso da ciência e tecnologia. Outro tema destacado pelas representantes dos sindicatos foi a necessidade de incluir conhecimentos relacionados à igualdade de gênero na formação dos educadores como uma estratégia de romper os estereótipos de desigualdade transmitidos pelos próprios professores aos alunos.
Com informações do site da CNTE

Imprimir