Por administrador em 16/ago/2012

Lançamento de novo livro de Venício Lima será hoje(16)



Sociólogo, jornalista e professor titular aposentado de Ciência Política e Comunicação da Universidade de Brasília – entre muitos outros títulos –, Venício Lima lança nesta quinta-feira, 16, o livro Política de Comunicações: Um Balanço dos Governos Lula [2003-2010], sua mais recente obra. O lançamento ocorrerá a partir de 19h, no restaurante Carpe Diem da 104 Sul. O livro é uma coletânea de 91 artigos (depois transformados em 89) publicados pelo Observatório da Imprensa e pelo portal Carta Maior entre os anos de 2004 e 2010. Reunidos, os textos aludem a uma pergunta central: os dois mandatos do presidente Lula – marcado por grande aprovação popular – representam de fato um avanço para a democratização das Comunicações no Brasil? Para o autor, a resposta é “não”, ainda que o governo Lula tenha sido bem-sucedido em algumas outras áreas de atuação.
“O balanço geral – e os anuais – revelam que praticamente não se avançou em relação às politicas de Comunicação no Brasil durante aquele período”, afirma Lima. A título de exceção, o autor cita a criação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e a redistribuição – “descentralizadora, que ajudou mais vozes a aparecerem num espaço público” – de verbas oficiais de publicidade.
Política de Comunicações: Um Balanço dos Governos Lula é, portanto, fruto da atividade profissional de Venício Lima no período 2003-2010. “Em certo sentido, ao escrever sobre elas, acompanhei o cotidiano da formulação de políticas públicas de Comunicações durante o governo Lula”, diz. Para compor a obra, o autor reuniu os artigos sob grandes capítulos dedicados ao “Marco Regulatório”, a “Recuos” e a “Avanços”.
No livro, os artigos de Lima acabam por evidenciar “históricas e poderosas resistências ao avanço nas Comunicações” no Brasil – entre elas o fato de o modelo cultural hegemônico não permitir alternativas que levem ao seu questionamento. Como resultado, segundo o professor, “no Brasil poucos falam e muitos ouvem”: “Aqui temos um problema histórico, a rigor secular: o que acontece na área das políticas de Comunicações é que a imensa maioria da população brasileira continua excluída do debate público”.
Lima lembra que o mês de agosto, cinquentenário do Código Brasileiro de Telecomunicações, oferece um exemplo contundente de mais este atraso brasileiro: no dia 27 de agosto de 1962, o presidente João Goulart assinou a lei que até hoje regula o rádio e a televisão no país. “E como isso é possível para um campo de tamanhas mudanças tecnológicas?”, pergunta o professor.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO – Espécie de complemento teórico a Política de Comunicações, a também coletânea de artigos Liberdade de expressão x Liberdade de imprensa será relançada paralelamente na noite desta quinta-feira, 16. A segunda edição, revista e ampliada, foi acrescida de 16 artigos, e introduz novas discussões – que surgiram após a 1ª Conferência Nacional de Comunicação, em 2009 – acerca do tema. O autor destaca a extensa introdução do livro, que apresenta a temática historicamente; os anexos, com uma cronologia de fatos e uma listagem de principais documentos legais sobre o tema; e o prefácio – “do qual muito me orgulhei” – do jurista Fábio Konder Comparato.

SERVIÇO
Publicados pela Editora Publisher Brasil, os livros poderão ser adquiridos pelo site www.publisherbrasil.com.br ou pelo telefone (61) 3328.8036

Imprimir