Por André Barreto em 26/jul/2018

Jornada Literária reúne escritores, ilustradores e leitores de 14 a 17 de agosto no Sesc Ceilândia. Há atividades específicas para professores



De 14 a 17 de agosto, a 3a Jornada Literária do Distrito Federal faz à comunidade de Ceilândia e de toda Brasília, um convite à literatura. Com cerca de 20 convidados locais e de renome nacional, o projeto de quatro dias realiza mais de 40 atividades gratuitas, entre palestras, debates, espetáculos de literatura, narração de histórias, rodas de poesia, oficinas e feiras de troca de livros, colocando leitores, escritores e ilustradores frente a frente. Uma programação de acolhida e encanto. Entre os convidados, a poeta Cristiane Sobral; também Alexandre Pilati, professor da UnB e participante da Jornada desde sua primeira edição; e o escritor Caio Riter, autor de dezenas de obras para crianças e também de livros para adolescentes.

Para professores(as) – A Jornada Literária do DF, edição 2018, tem uma programação de grande interesse para professores e professoras, tanto pelo papel de leitores poderosos que são, como pela habilidade de mediadores de leitura que desenvolvem. Confira:

Poesia e gramática

No dia 8 de agosto, na Biblioteca Pública Carlos Drummond de Andrade, a Oficina Poemática – Poesia e gramática em sala de aula, com o poeta e professor Alexandre Pilati e com a professora e pesquisadora Eloísa Pilati, para associar o prazer da poesia com o ensino da língua portuguesa.

 Formação de leitores e mediação de leitura

No dia 15 de agosto, às 8h30, na sala de atividades do Teatro Sesc Newton Rossi, debate com os escritores Ivan Zigg e João Bosco Bezerra Bonfim, a respeito do tema Leitores criativos, professores felizes. Os dois autores reforçam o poder dos leitores, que devem ter um papel cada vez mais ativo e criativo na leitura das histórias.

Também no dia 15, na Sala de Atividades, às 14h30, o debate Mediação de leitura em sala de aula: encantando os novos leitores, com  Léo Cunha e João Bosco Bezerra Bonfim. Ambos trazem a experiência de professores, escritores e formadores.

Para os educadores, haverá também a oficina Como montar um projeto literário na escola: passos e voos, ministrada pela autora e livreira Íris Borges, no Teatro Sesc Newton Rossi, Ceilândia, dia 15 de agosto às 13h30.

Empoderamento pela literatura

Para os professores e professoras atentos ao empoderamento de seus alunos e alunas, as participações de Cristiane Sobral são uma boa dica: ela estará no dia 14 de agosto, às 9h, no Teatro Sesc Newton Rossi, falando de seu trabalho Só por hoje, vou deixar meu cabelo em paz.

Outra boa participação, nesse contexto, é o da poeta Meimei Bastos, nascida em Ceilândia, que fará roda de poesia logo em seguida à apresentação de Cristiane Sobral, às 10h45, no mesmo local.

Cristiane Sobral volta a se apresentar no dia 16 de agosto, com Só por hoje, a poesia fala mais alto!, às 19h30, no Teatro Sesc Newton Rossi, em Ceilândia.

Coletivos, autopublicação, publicação independente

Mulheres poderosas se apresentam no dia 14, na Sala de Atividades, às 10h45. É a experiência do Coletivo de escritoras Maria Cobogó, que falam da criação literária e publicação.

Mais a respeito da criação e publicação pode ser buscado com a escritora e editora Clara Areguy, que fala sobre o tema Tornar-se escritor: imaginação, originais e publicação. Será dia 17 de agosto, às 15h, na Sala de atividade 1 – Sesc Ceilândia.

Para os professores – e criadores de todas as idades e formações – o escritor Rodolfo Melo fala a respeito da Publicação independente, na Sala Multiuso do Teatro Sesc de Ceilândia, dia 15 de agosto, às 10h.

Carlos Drummond de Andrade para os chegados e os que vêm chegando

Para os apreciadores de poesia, especialmente a do itabirense, é imperdível a palestra Vida apenas, sem mistificação à poesia de Carlos Drummond de Andrade, proferida por Alexandre Pilati, no dia 14 de agosto, às 9h30, na Biblioteca Pública de Ceilândia.

Ainda em celebração ao grande poeta mineiro, Alexandre Pilati comanda a roda de poesia Tinha um livro de poesia no meio do caminho, com homenagens e reflexões a respeito da obra de Carlos Drummond de Andrade. Será no dia 15 de agosto, às 10h30, na Sala de Atividades do Sesc Ceilândia.

Quadrinhos e a salvação das artes literárias

Quem disse que quadrinhos é só a porta de entrada para o universo da literatura? Quem sustenta o valor literário dos quadrinhos é S Lobo, roteirista, editor e formador de quadrinistas, que vem de Porto Alegre (RS) conversar com criadores, leitores e professores a respeito dessa arte tão em alta nos nossos dias. Será dia 14 de agosto, na Sala de Atividades do Sesc Ceilândia, às 16h20.
Escrita, redes sociais e vestibulares, também

Tanto para professores quanto para candidatos ao ensino superior, no dia 17 de agosto, às 8h30, na Sala de Atividades, às 8h30, a escritora e professora Lucília Garcez fala a respeito da Literatura no PAS, Enem e Vestibular: é ler e aprovar.

Para criadores e professores, a escritora e professora Dad Squarisi fala a respeito da Escrita criativa e redes sociais, dia 17 de agosto, às 13h50, na Sala de atividades 1 – Sesc Ceilândia.

O poeta André Giusti fala a respeito da Poesia nas redes sociais, dia 15 de agosto, às 16h40, na Sala Multiuso do Tatro Sesc Newton Rossi.

>>> Veja a programação completa do evento.

Quem abre a programação é Cristiane Sobral, com o espetáculo Só por hoje, vou deixar meu cabelo em paz (14 de agosto, às 9h45), no Teatro Newton Rossi. “Consideramos sua participação um grande para nós, pois ela se firma cada vez mais como uma voz potente da poesia brasileira. É admirável a maneira como já é conhecida na comunidade da Ceilândia. Muitos professores e alunos já trabalharam as obras da poeta. Esse é um ponto de destaque”, afirma João Bosco Bezerra Bonfim, curador do evento e também autor participante. A escritora carioca, que vive em Brasília, tem também mais um encontro marcado com o público. No dia 16 de agosto, quinta-feira, às 19h30, ela apresenta a palestra Só por hoje, a poesia fala mais alto!

 Já o escritor Caio Riter, traz a rica experiência do Rio Grande do Sul, “que é de onde tiramos inspiração para a Jornada, pois eles têm programas com mais de 60 anos, com esse mesmo teor”, lembra João Bosco. Também do Rio Grande do Sul, mas com uma experiência em todo o Brasil, vem S. Lobo, quadrinista que já esteve à frente dos projetos editoriais mais premiados do Brasil. Nos dias 15 e 16, ele oferece a Oficina de roteiro e linguagem dos quadrinhos na Biblioteca Pública de Ceilândia. Também na biblioteca, os professores Alexandre Pilati e Eloisa Pilati realizam a Oficina: Poemática – Poesia e gramática em sala de aula.

A expectativa dos organizadores é superar a marca dos 12 mil alunos e 500 professora que estiveram presentes na Jornada de 2017, realizada no Gama. Para isso, contam com o apoio do SESC-DF. “Acertamos desde o ano passado essa parceria, para a realização do evento no Teatro do Sesc Newton Rossi, que consegue ser ainda mais acolhedor do que o do Gama, com um auditório mais amplo e mais salas para atividades, além do hall, para a exposição de livros”, explica João. A Jornada vem ao encontro dos propósitos da instituição, que já tem concursos locais e nacionais, que incentivam a leitura e a criação literária. “É um presente podermos contar com essa estrutura tão valiosa para a cultura”, completa

E a exemplo das edições anteriores, a Jornada já começou mobilizando as comunidades escolares de Ceilândia. No mês de junho, foram realizadas 10 oficinas de Mediação de Leitura com a participação de mais de 300 professores da região. Além de abordar de uma nova forma os livros presentes no conteúdo programático de ensino, os professores puderam, a partir das oficinas, levar para seus alunos os livros e autores que serão trabalhados no programa, garantindo assim que, no encontro com os autores, os estudantes possam compartilhar sentimentos e reflexões a respeito das obras lidas.

A prática já acumulada nas experiências de 2016 e 2017, no Paranoá, São Sebastião, Gama, Recanto das Emas e Santa Maria tem mostrado a necessidade de mediadores de leitura literária. “A leitura literária é a mais acessível de todas. Qualquer adulto, jovem ou criança pode – quando há disponibilidade – ler, sozinho, um bom livro de histórias ou de poemas. Mas será tão simples assim? Na nossa prática, temos visto a necessidade de um mediador. Por isso, o primeiro passo do projeto é a realização das oficinas de mediação de leitura”, afirma João Bosco.

Em seu terceiro ano de atuação, a Jornada Literária, por meio de suas ações, vem rendendo ótimos frutos, pois o incentivo da leitura só acontece com algo muito importante, a perseverança. O melhor que vejo é que a literatura sai de uma visão de obrigação escolar para o espaço da brincadeira, do jogo, da atividade prazerosa. Temos visto isso no Paranoá, São Sebastiao, Gama, enfim, em todas as cidades em que atuamos”, conclui o escritor e curador da Jornada Literária.

Serviço

3a Jornada Literária do Distrito Federal – Edição Ceilândia 2018

De 14 a 17 de agosto de 2018

Atividades pela manhã e à tarde

Teatro Newton Rossi, SESC Ceilândia (QNN 27  Área Especial S/N – Ceilândia Norte, Brasília – DF)

MAIS INFORMAÇÕES, PROGRAMAÇÃO E BIOGRAFIA DOS PARTICIPANTES: www.jornadaliterariadf.com.br/edicao2018

Imprimir