Por administrador em 21/maio/2011

Iprev-DF: sete mil servidores do GDF ainda não fizeram o censo previdenciário



Os  servidores ativos e inativos e pensionistas do Governo do Distrito Federal (GDF) que deixaram para responder o censo previdenciário na última hora podem ser prejudicados. O prazo vai até a próxima quarta-feira e quem não procurar o posto do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev-DF), instalado no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, terá o salário do mês de junho bloqueado até que regularize a situação. Os retardatários que foram ontem ao local encontraram filas e dificuldade para preencher os formulários.
Desde o último dia 9, o Iprev-DF abriu novo prazo para o recebimento dos documentos. Até ontem, cerca de 3 mil pessoas regularizaram a situação. Segundo o instituto, em média, 380 atendimentos são feitos e 24 profissionais se revezam em dois turnos para fazer os cadastros. Outras 7 mil ainda precisam resolver as pendências. A suspensão dos rendimentos ou benefícios está prevista no Decreto nº 32.746, de 1º de fevereiro.
O censo previdenciário é feito a cada cinco anos e foi planejado para atualizar o banco de dados do governo e detectar mudanças no perfil dos funcionários do governo local. Além disso, serve para corrigir falhas, como o caso de servidores mortos que continuam a receber aposentadoria. Segundo o diretor-presidente do Iprev, Jorgivan Machado, a prioridade do instituto é liberar o pagamento de quem participar do censo. “Uma coisa é certa, o salário do servidor que não fizer o recadastramento ficará bloqueado”, completou.

Exigências
Todos os beneficiários do GDF, aposentados ou pensionistas, precisam participar do recadastramento. Somente os comissionados, terceirizados e funcionários de empresas públicas ficam de fora do levantamento. Para não se surpreender com os contracheques zerados, os funcionários precisam levar os documentos pessoais e os referentes ao cargo que ocupam. No caso dos pensionistas, é preciso também apresentar o Atestado de Óbito do ex-servidor do qual provém o benefício (leia quadro abaixo).
Ontem, a servidora da Secretaria de Saúde Raigana Santos de Oliveira, 31 anos, chegou no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade às 14h30, mas só conseguiu uma senha para atendimento às 16h45. “Eu não fiquei sabendo do censo previdenciário antes e perdi todos os prazos. Só consegui vir hoje. Estou aborrecida e chateada com a desorganização”, completou a moradora de Samambaia.
O professor Gustavo Fernandes, 24 anos, compareceu ao local pela terceira vez, mas não conseguiu atendimento. “Fui contratado em outubro e, até agora, não entendo porque preciso fazer esse recadastramento. Saí mais cedo da escola onde trabalho, mas não foi suficiente”, disse.

Cadastre-se
O prazo para o recadastramento vai até quarta-feira. Para atualizar os dados,
o servidor ou pensionista deve se dirigir ao Pavilhão de Exposições do Parque
da Cidade, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Informações pelo telefone 3961-1614. Veja abaixo os documentos necessários:

Servidores ativos
» Identidade e CPF
» Comprovante de endereço (conta de água, luz ou telefone com menos de 90 dias)
» Comprovante de inscrição do PIS/Pasep (não é obrigatório)
» Certidão de Casamento ou Certidão de União Estável
» Certidão de Nascimento dos filhos menores de 21 anos
» CPF e RG dos dependentes e do(a) esposo(a);
» Termo de tutela ou curatela, quando for o caso.

Aposentados ou pensionistas
» Identidade e CPF
» Certidão de Casamento ou Certidão de União Estável
» Certidão de Nascimento dos filhos
» CPF e RG dos dependentes e do(a) esposo (a)
» Termo de tutela ou curatela, quando for o caso
» Certidão de Óbito do ex-servidor

(Fonte Correio Braziliense)

Imprimir