Por Maria Carla em 24/abr/2018

II Festival de Cinema do Paranoá será realizado entre os dias 23 e 29 de abril



Mais de 420 filmes foram inscritos no II Festival de Cinema do Paranoá. Com 11 categorias de premiação para cada uma das duas mostras competitivas – nacional e Distrito Federal (DF) -, o Festival de Cinema do Paranoá será realizado entre os dias 23 e 29 de abril, no Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paranoá e Itapoã (Cedep), um espaço cultural criado juntamente com a cidade, no qual foi realizada a I Mostra de Filmes do Paranoá, em 2016.

Nesta segunda edição, o festival promoverá a exibição gratuita de no mínimo 18 filmes de curta-metragem, nas categorias de animação, documentário e ficção, finalizados no Distrito Federal a partir de maio de 2016. Haverá sessões dedicadas à exibição de filmes de autoria feminina (produção, roteiro e/ou direção).

O Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC) é um dos patrocinadores desta edição, que promete muitas novidades. Uma delas é a Mostra Curtas Paranoá, que terá premiação em troféus e em dinheiro para 11 categorias e realizará quatro workshops temáticos com inscrições gratuitas e debates entre os realizadores e interessados, durante a programação.

“O II Festival de Cinema do Paranoá nasceu em 2016 como Mostra Curtas Paranoá, após uma reunião em que seis cineastas do Distrito Federal discutiram os prejuízos que a redução do número de filmes selecionados na Mostra Brasília de Cinema provocou ao deixar de exibir, em 2016, muitos filmes bons ficaram de fora da mostra. A gente se reuniu com os filmes que a gente tinha e que eram inéditos e fez a I Mostra de Curtas do Paranoá”, conta o cineasta Januário JR, um dos organizadores do festival.

Ele diz que na primeira edição foram exibidos seis filmes, incluindo dois de escola pública. “Houve uma boa repercussão na imprensa do DF, que divulgou bastante o evento e, com isso, foi possível entramos com o pedido de financiamento do FAC e fomos contemplados com recursos financeiros para viabilizar a segunda edição, que seria em 2017, mas o FAC demorou a pagar e, assim, a segunda edição foi transferida para abril deste ano”.

A ideia da equipe de realizadores era fazer a mostra só com filmes do Distrito Federal porque o festival tem um diferencial muito bom que é a premiação em troféu e em dinheiro em todas as categorias para os filmes do DF. “Só que a nossa equipe se reuniu e concluiu que a mostra do Paranoá poderia ser uma mostra de âmbito nacional e aí sugeriu mudar o nome para Festival de Cinema do Paranoá, na segunda edição, e decidimos abrir para Mostra Competitiva do DF e Mostra Competitiva Nacional”, disse.

Januário esclarece que a equipe acrescentou também uma Mostra Interativa Nacional, que será exibida em quatro escolas públicas do Paranoá, Itapoã e na área rural do Paranoá. É a primeira vez que o cinema vai para o PAD-DF, local que irá receber três sessões. Terá também sessões nas escolas públicas do Paranoá e no Itapoã.

Paralelamente, a equipe de realizadores fará uma mostra de filmes infantis e, outra, interativa, para surdos denominada Mostra Interativa para Surdos, no domingo, dia 29 de abril, no dia da premiação, à tarde. As sessões competitivas irão ocorrer nos dias 27 e 28 de abril, em três sessões em cada dia, provisoriamente, serão em três horários, 16h, 19h e 21h, nos dois dias.

O Sinpro-DF é uma das entidades que patrocinam o II Festival de Cinema do Paranoá. “E não poderia ser diferente, afinal, o Paranoá é uma das Regiões Administrativa com uma história de lutas, resistências e conquistas que passa pelo Cedep. Muito mais do que um espaço físico para realizações de atividades variadas, o Cedep se constitui como um espaço histórico de construção de resistências a partir de projetos sociais, políticos e culturais. Esse festival é fruto de um esforço coletivo de fortalecer a cultura da cidade e aproximar esse feito, também das escolas da cidade”, afirma Luciana Custódio, diretora do Sinpro-DF.

Ela diz que “a proposta da Mostra Interativa Nacional, levando o cinema até as escolas públicas do Paranoá e Itapoã, simboliza a importância de incorporar no currículo escolar as questões culturais da cidade em que vivem os e as estudantes, filhos e filhas do Paranoá”. Um exemplo desse trabalho produzido na cidade é o filme de Januário JR. Um filme premiado em várias categorias que pode ser acessado pelo link  https://youtu.be/E30Q5P4bNOU.

Para mais informações sobre o festival de cinema, visite o site Oitava Arte (http://grupooitavaarte.com.br/)

Imprimir