Por administrador em 04/fev/2010

Homem tenta subornar testemunha do mensalão



O funcionário conselheiro da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) Antônio Bento foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (4), em um restaurante em Brasília, com R$ 200 mil, em dinheiro, que seriam utilizados para subornar uma das testemunhas do esquema de corrupção em Brasília. Segundo informações preliminares da PF, o destinatário do dinheiro seria o jornalista Edson Sombra, uma das principais peças do quebra-cabeça da Operação Caixa de Pandora, que desmantelou o esquema de corrupção no Distrito Federal em novembro de 2009.
Foi o próprio Sombra que teria comunicado aos agentes da PF a oferta de suborno e o assédio do suspeito. O homem oferecia o dinheiro a Sombra para que ele prestasse informações falsas no depoimento que ainda terá de prestar à PF. Sombra concordou em receber o dinheiro e armou o flagrante com os agentes da PF. Por volta das 9h desta quinta, o homem foi preso com o dinheiro em um restaurante do Sudoeste, bairro nobre de Brasília. O homem foi conduzido à Superintendência da Polícia Federal onde é mantido em uma sala reservada, enquanto aguarda o registro do flagrante.
Sombra é uma peça importante do caso porque teria sido ele o responsável por convencer o ex-secretário de Relações Institucionais e pivô do escândalo, Durval Barbosa, a delatar o esquema à polícia. O esquema de corrupção em Brasília envolve o suposto pagamento de propina ao governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), ao vice-governador, Paulo Octávio (DEM), deputados distritais, empresários e integrantes do governo. O inquérito que investiga o caso tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e já resultou na quebra de sigilos bancário e fiscal do governador Arruda e de outros sete envolvidos no caso.

Imprimir