Por administrador em 23/jan/2014

Gestores iniciam o ano com velhos problemas



O ano letivo começa com velhos problemas. O Governo do Distrito Federal não repassou a parcela do PDAF que deveria ter sido paga no semestre passado para muitas escolas, que agora estão sem condições de organizarem o retorno às aulas por estarem com os cofres vazios e dívidas a pagar. “Não sei como vai ser o ano letivo” lamenta Maria Auxiliadora de Sousa Godinho, diretora da CEE 01 de Brasília, na Asa Sul.

De acordo com a gestora, metade dos recursos foram depositados no início de 2013 e o restante, prometido para o segundo semestre, não foi repassado. Maria Auxiliadora disse que procurou a regional de ensino e eles só pedem para aguardar. A diretora ainda afirma que os fornecedores da escola são antigos, mas mesmo assim o desconforto é enorme com as dívidas que não foram honradas no ano passado. “Eu fiquei até com vergonha de pedir algumas cartolinas para a semana pedagógica, já que a escola está devendo na papelaria. Estamos sem pincel, caneta e até giz. Os alunos serão prejudicados”, enfatiza.

A direção do Sinpro tem cobrado insistentemente agilidade da Secretaria da Educação para o repasse do recurso, mas até o momento a SEE não informou uma data para o pagamento. Sem dúvida isto comprometerá o início do ano letivo. Esperamos que a burocracia se transforme em impedimento para o bom desenvolvimento das aulas.

Imprimir