Por administrador em 21/nov/2014

Funcionários da embaixada da Polônia recebem indenização por perdas salariais



Os trabalhadores da embaixada da Polônia, que ficaram cinco anos sem receber reajuste salarial, foram indenizados nessa quarta-feira (20). A indenização equivale às perdas salariais do período de janeiro de 2009 a julho de 2014.

“Essa conquista foi resultado da união da categoria. Quando todos são filiados ao sindicato e lutam em cumplicidade, conseguimos alcançar nossos objetivos. Foram cinco anos batalhando, avançamos e vamos avançar mais”, avalia Raimundo Luis de Oliveira, presidente do Sindnações, sindicato que representa os funcionários da embaixada.

Segundo o Sindnações, a indenização paga representa a admissão de erro na correção dos salários. Portanto, se o salário não seja corrigido com base no IPCA do período indenizado, novas dívidas para futuras indenizações estão sendo geradas.

O cálculo realizado para indenização de perda salarial teve como base de cálculo o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica-IBGE, já acrescido do Fundo de Garantia por Tempo de Serviços-FGTS. O valor total da indenização foi de R$ 215.551,22, distribuídos aos funcionários conforme o salário e tempo de serviço de cada um.

As indenizações variaram de R$ 16.365,14 a R$ 52.937,12 que cada trabalhador recebeu pessoalmente do embaixador Andrzej Maria Braiter.

Para os trabalhadores a indenização veio em boa hora, explica Leon Pakula. “Foi muito bom receber essa indenização, pois, sem esses reajustes e com alta inflação, nós ficamos endividados, tendo que arcar com gastos com escola, livros para os meus filhos, alimentação. Agora estou aliviado. Vou pagar minhas dívidas e vou poder dormir tranquilo”, explica.

Secretaria de Comunicação da CUT Brasília

Imprimir